Rio 450 anos – ZN na História – Alto da Boa Vista

insta_filipequeirozn_zona norte etc
insta_filipequeirozn_zona norte etc

A Vista Chinesa é um dos principais pontos turísticos da cidade e fica no bairro | Foto: Reprodução Instagram @filipequeirozn

Hoje contamos a história do bairro do Alto da Boa Vista, aquele pedaço de natureza maravilhoso bem no coração da ZN!

1- Origem do nome do bairro: Bela paisagem que se admira das suas encostas.

2- D. Pedro II determinou o reflorestamento das matas da região da Tijuca em 1861, durando 13 anos, e conduzida sob a direção do Major Manuel Gomes Archer e do administrador Thomás Nogueira da Gama.

3- Foram plantadas cerca de 80 mil mudas de espécies variadas de árvores nativas e exóticas.

4- O pintor Nicolas Taunay construiu uma cabana no alto do bairro, local conhecido até hoje como Cascatinha de Taunay, na Estrada do Imperador, tornando-se assim o primeiro morador do bairro.

5- O Parque Nacional da Tijuca, que guarda e preserva a terceira maior floresta urbana do mundo, ocupa grande parte deste bairro.

6- É no bairro que se registram as menores temperaturas da Cidade do Rio de Janeiro, em todas as épocas do ano. Além de ser um dos últimos onde ainda se podem encontrar rios limpos.

7- Depois de ocupado por alguns hotéis e tendo abrigado residências de alguns membros da elite, o bairro consolidou-se como parque urbano e suas florestas são objetos de permanente esforço para sua preservação.

8- O bairro já foi utilizado, muito frequentemente, como locação externa de diversas produções cinematográficas e televisivas nacionais.

9- Personagens famosos da ficção que lá residiram: o empresário assassinado Salomão Hayala, da novela O Astro; o armador Aristides Vilhena, de Selva de Pedra, a promoter Maria Clara Diniz, de Celebridade, entre tantos outros.

10- A denominação, delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto No 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto No 5280, de 23 de agosto de 1985.

Fonte: Livro “Rio Bairros” de Robson Letiere

Quer saber mais sobre a história do RJ? Fique ligado na nossa página do Facebook que em breve faremos o sorteio de um exemplar do livro, onde você poderá conhecer sobre todos os bairros e as bandeiras exclusivas criadas por Robson!

Rio 450 anos – ZN na História – Acari

insta_vinicius_of_jesuz_zona norte etc

Hoje o nosso passeio pela ZN nos 450 anos do Rio de Janeiro conta a história do bairro de Acari!

insta_vinicius_of_jesuz_zona norte etc

Feira de Acari | Foto: Reprodução @vinicius_of_jesuz

1- Origem do nome do bairro: Provavelmente vem do Rio Acari (que é um tipo de peixe), que corta suas terras e faz divisa com o vizinho bairro Parque Colúmbia.

2- Na época colonial, o bairro era formado primeiramente pelas grandes fazendas, depois, os engenhos que cultivavam, dentre outros produtos, a cana-de-açúcar.

3- A partir de 1875, é implantada a Estrada de Ferro Rio D’Ouro e no entorno da mesma foram surgindo pequenos núcleos urbanos que levaram no início do século XIX a novos loteamentos.

4- A estação de Acari foi inaugurada em 13 de maio de 1926. Com a desativação da ferrovia por volta de 1968, foi posteriormente demolida.

5- O Complexo de Acari, na verdade, é a junção do Conjunto Amarelinho e mais quatro localidades: Parque (Proletário) Acari, Vila Rica de Irajá, Coroado e Vila Esperança.

6- O Complexo iniciou seu processo de ocupação no ano de 1946 e apresenta um dos maiores índices de pobreza na Cidade do Rio de Janeiro.

7- Ainda em 1946, é inaugurada a Avenida Brasil, que é outra divisa do atual bairro de Acari, levando à implantação de muitas indústrias e a um adensamento junto à nova via.

8- Com a implantação da Linha 2 do Metrô, ganhou a estação Acari-Fazenda Botafogo.

9- No bairro foi construído o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, conhecido como Hospital de Acari, o segundo maior do município.

10- A denominação, delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto No 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto No 5280, de 23 de agosto de 1985.

Fonte: Livro “Rio Bairros” de Robson Letiere

Quer saber mais sobre a história do RJ? Fique ligado na nossa página do Facebook que em breve faremos o sorteio de um exemplar do livro, onde você poderá conhecer sobre todos os bairros e as bandeiras exclusivas criadas por Robson!

Rio 450 – ZN na História – Abolição

zn na história_abolição_zona norte etc

Continuamos nosso passeio pela história dos bairros da ZN. Hoje você conhece mais um pouco sobre a Abolição.

1- Origem do nome do bairro: Provavelmente no antigo nome da Rua da Abolição, que era 13 de Maio, dia da Abolição dos Escravos no Brasil.

2- Inicialmente eram as populações ligadas às lavouras e ao comércio desses produtos, sendo o bairro cortado pela antiga Estrada Real de Santa Cruz, hoje Avenida Dom Hélder Câmara (antiga Av.

Suburbana).

3- Os primeiros registros de loteamentos de grandes terrenos junto à Rua da Abolição são de 1917.

4- A partir de 1930, o Estado passa a apoiar a atividade manufatureira, sendo as áreas servidas pelas ferrovias, o entorno próximo, escolhidas para a instalação de muitas delas.

5- Parte do bairro é atravessado pela via expressa “Linha Amarela”, inaugurada em 1997.

6- O bairro é conhecido por abrigar a pizzaria, confeitaria e restaurante York e a Casa de Shows Sambola Hall.

7- Algumas personalidades que já moraram no bairro: a cantora de funk Valeska, o cantor Latino, a política Benedita da Silva, além de integrantes do grupo de pagode Molejo.

zn na história_abolição_zona norte etc

Valesca Popozuda, Latino e Anderson, do Molejo – Ilustres moradores do bairro da Abolição | Foto: Reprodução

8- O bairro é bem servido com linhas de ônibus que o ligam para bairros das zonas Sul, Oeste, Centro e da própria zona Norte e para cidades da Baixada Fluminense.

9- No Largo da Abolição existe um comércio muito forte e diversificado, com supermercados, farmácias, hortifrutis, restaurantes, entre outros negócios.

10- A denominação, delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto No 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto No 5280, de 23 de agosto de 1985.

Fonte: Livro “Rio Bairros” de Robson Letiere

Quer saber mais sobre a história do RJ? Fique ligado na nossa página do Facebook que em breve faremos o sorteio de um exemplar do livro, onde você poderá conhecer sobre todos os bairros e as bandeiras exclusivas criadas por Robson!

Rio 450 – ZN na História – Água Santa

insta_zonanorteetc_onibus__pmnetto

Seguindo o roteiro da história do Rio, hoje falamos sobre o bairro de Água Santa!

insta_zonanorteetc_onibus__pmnetto

Foto: Reprodução Instagram @_pmnetto

1- Origem do nome do bairro: Descoberta no ano de 1888 da segunda fonte hidromineral do Estado do Rio de Janeiro.

2- Em meados do século XIX tem-se notícia de que na vertente voltada para este bairro teria existido um quilombo, o que teria originado o

nome da encosta como Serra dos Pretos Forros.

3- Domingos Camões, responsável pela descoberta, era um escravo recém alforriado que a partir de 1909 iniciou o engarrafamento desta água.

4- Aos poucos essa fonte d’água ficou conhecida nos arredores como “Água Santa”.

5- Em 1914, surgiu a empresa de Águas Santa Cruz Ltda, que se mantém até os dias atuais no bairro, perpetuando o nome da fonte.

6- Os primeiros registros de loteamento são de 1917, promovendo-se mais tarde o Jardim Água Santa que se estima tenha ocorrido por volta de 1946.

7- No mês de junho é realizada a Festa de Santo Antônio na igreja em homenagem ao padroeiro.

8- No bairro está localizado o Presídio Ary Franco, inaugurado em 1974.

9- Em 7 de junho de 2000 foi promulgada pela Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro a Lei n° 3.035/2000 que prevê a criação do Parque Ecológico de Água Santa.

10- A denominação, delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto No 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto No 5280, de 23 de agosto de 1985.

Fonte: Livro “Rio Bairros” de Robson Letiere

Quer saber mais sobre a história do RJ? Fique ligado na nossa página do Facebook que em breve faremos o sorteio de um exemplar do livro, onde você poderá conhecer sobre todos os bairros e as bandeiras exclusivas criadas por Robson!

Rio 450 – ZN na História – Méier

Leão do Méier_Zona Norte Etc

A partir de hoje, durante todo o mês de março, vamos mostrar por aqui um pouco da história dos bairros da ZN, uma pesquisa extensa feita pelo professor Robson Letiere a partir de uma curiosidade de seu filho. O trabalho começou em 2009 e resultou no livro “Rio Bairros”, uma compilação da história da cidade.

Além de pesquisar os dados históricos, Robson também desenhou uma bandeira para cada bairro, levando em consideração as principais características do lugar. Hoje falamos sobre a história do Méier, um dos principais bairros da ZN e onde este blog nasceu.

ig_leao meier

Foto: Fabiano Albergaria

1- Origem do nome do bairro: Homenagem a Augusto Duque Estrada Meyer, que se destacou como acompanhante do Imperador Dom Pedro II, recebendo o título de “Camarista”.

2- As terras do atual bairro faziam parte do Engenho Novo dos Jesuítas, que abrigava, no início do século XIX, a extensa “Quinta dos Duques”, de José Paulo da Mata Estrada e Dulce de Castro Azambuja, avós do Camarista Meyer.

3- O Camarista Meyer abriu várias ruas em suas propriedades, dando a elas nomes de seus familiares – Carolina Meyer, Frederico Meyer, Joaquim Meyer etc – e formando o novo bairro, já então conhecido como Meyer.

4- Os primeiros habitantes da região eram escravos fugidos que formaram quilombos na Serra dos Pretos-Forros.

5- Em 1879, por iniciativa de Lucídio Lago, a Companhia Ferro-Carril, com a tração animal, cruzou o Meyer. Somente em 1907 chegaria a tração elétrica, com a linha Engenho de Dentro – Largo de São Francisco.

6- Em 13 de maio de 1889, foi inaugurada, na E. F. Dom Pedro II, a estação do Meyer, devido ao aumento da população e dos loteamentos recém abertos.

7- Em 1954 o bairro ganhou o Imperator, na ocasião a maior sala de cinema da América Latina com 2.400 lugares.

8- Em seguida foi a vez do Shopping do Méier se instalar no bairro, o primeiro do gênero a ser inaugurado no Brasil.

9- O bairro consolidou-se como importante centro dos subúrbios adjacentes, abrigando o Hospital Salgado Filho, o Colégio Metropolitano, a Biblioteca Municipal Agripino Grieco, o Sport Club Mackenzie, a Igreja Batista do Méier, a Igreja Sagrado Coração de Jesus, a União Espírita Suburbana e o “Baixo Méier”, local de concentração de bares com intenso movimento noturno.

10- A denominação, delimitação e codificação do Bairro foi estabelecida pelo Decreto No 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto No 5280, de 23 de agosto de 1985.

Fonte: Livro “Rio Bairros” de Robson Letiere

Quer saber mais sobre a história do RJ? Fique ligado na nossa página do Facebook que em breve faremos o sorteio de um exemplar do livro, onde você poderá conhecer sobre todos os bairros e as bandeiras exclusivas criadas por Robson!