MarcelloRocha_Urbanologia_ZonaNorteEtc

Exposição “Urbanologia”

Exposição “Urbanologia”

previous arrow
next arrow
Slider

Começou nesta quarta-feira a exposição "Urbanologia", de Marcello Rocha. Nela, o cotidiano de bairros do chamado Grande Méier. Para o acervo também foram selecionadas fotografias de alunos que participaram de oficinas de fotografia na unidade SESC do Engenho de Dentro. São registros que retratam o lado urbano em preto e branco e também a ludicidade do multicolorido característico da ZN. A ideia é mostrar além da correria diária, o lado bucólico dos bairros. 

Serviço
Exposição Urbanologia
De terça a sexta, das 8h às 20h30m
Sábados, domingos e feriados, das 9h às 17h30m
Agendamento de grupos: 3822-4892
SESC – Engenho de Dentro: Av. Amaro Cavalcanti, 1661
Tel: 3822-4830

suburbano da depressão vitor almeida zona norte etc

Suburbano da Depressão: Causos, contos e crônicas

Suburbano da Depressão: Causos, contos e crônicas

 

É com muita alegria que trazemos essa dica literária! Está em pré-venda no site da editora Autografia o livro "Suburbano da Depressão: Causos, contos e crônicas" de Vitor Almeida, criador da famosa página "Suburbano da Depressão", no Facebook. Os 100 primeiros, além de contarem com desconto, ainda levam o livro autografado pelo autor. É claro que já garantimos o nosso!

suburbano da depressão vitor almeida zona norte etc

Hoje podemos conjugar o verbo SUBURBANIZAR, graças aos deuses da Supervia, dos BRTs, das vans e das kombis. Nossa história tá aí, nas ruas, praças, quintais de casas, festas de família e suas confusões. Trouxe pra nós o que melhor tem no Rio de Janeiro: O SUBURBANO. Vira as costas pra praia, pro Cristo, pro Pão de Açúcar, meu primo! O Rio acontece aqui nas nossas ruas, no nosso improviso, nas nossas festas. - Vitor Almeida

Para garantir o seu exemplar basta clicar nesse link aqui.

leao-etiope-do-meier_zona-norte-etc_arte-rosa-antunes-e-marina-andrade

Vakinha Etíope do Leão

Vakinha Etíope do Leão

Ao longo desse tempo em que o ZN está em atividade tivemos a oportunidade de conhecermos muitos projetos, pessoas, culturas e uma das iniciativas mais sinceras e que mais nos aproximamos foi o coletivo Leão Etíope do Méier. Eles simplesmente fomentam o acesso à cultura em lugares públicos (mais especificamente na Praça Agripino Grieco e no Jardim do Méier). Provando que a Zona Norte tem vasta oferta e demanda de consumo de arte em geral. 

O “Leão Etíope do Méier” atua desde janeiro de 2014. Sempre com uma programação variada que vai desde exibição de filmes (Cinetíope do Méier), shows nacionais e internacionais, performances, teatro e dança. Um grande palco a céu aberto na zona norte da cidade. 

Em 2015, o Leão foi convidado a produzir, a convite da Funarte, uma série de cinco espetáculos na Sala Sidney Miller. Ainda em 2015, firmou parceria com o Imperator - Centro Cultural João Nogueira para produção de eventos. Também foram um dos palcos da Ocupação O Passeio é Público, além de assinar a curadoria do dia da consciência negra na Arena Dicró (2015). Ele foram premiados pelo edital de Ações Locais da Secretaria Municipal de Cultura - RJ e esse ano o projeto 'Leoa Etíope do Méier 'também foi chancelado como Ação Local pela Secretaria Municipal de Cultura - RJ. 

Muito bem! Para que a galera possa dar continuidade a esse trabalho lindo é preciso que nos movamos e ajudemos os grande amigos que tanto fazem pela arte, cultura e democracia.  Você pode colaborar com 10, 20, 30 reais... chamar os amigos para chegar junto e ajudar divulgando nas redes sociais. O desafio é ter 350 admiradores e admiradoras contribuindo com 10 reais ou mais até o dia 24/12. Vamos nessa!?

leao-etiope-do-meier_zona-norte-etc_arte-rosa-antunes-e-marina-andrade

Arte: Rosa Antunes com adaptação de Marina Andrade

Para apoiar o Leão Etíope do Méier basta clicar aqui.

OCluster_ZonaNorteEtc_RenanLima

O Cluster celebra quatro anos com ocupação artística pela primeira vez na Zona Norte

O Cluster celebra quatro anos com ocupação artística pela primeira vez na Zona Norte

A 21ª edição virá em forma de festival

 

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Shadow
Slider

Eles já estão na 21º edição, promovem uma série de eventos bimestrais, seminários, possuem uma revista digital e já lançaram um livro. O Cluster é um gás na área da economia criativa, principalmente nos segmentos de moda, arte, música, design e gastronomia. O Cluster, celebra no mês de novembro o quarto aniversário.  Para comemorar a data, será realizada no dia 20 de novembro, domingo, das 13h às 21h, a ocupação artística da Casa da Marquesa de Santos, em São Cristóvão. 

Com o intuito de ampliar cada vez mais a troca e a aprendizagem a partir de novas experiências, a plataforma realiza pela primeira vez edição na Zona Norte da cidade, especificamente em São Cristóvão, bairro que concentra vários representantes da moda carioca e brasileira.

Carolina Herszenhut ressalta a importância da ocupação artística do projeto acontecer nesse equipamento cultural

"A principal Missão d 'O Cluster é fazer uma ocupação criativa da cidade, levando a nossa plataforma para diversos pontos. Quando fomos convidadas a fazer a primeira ocupação do Solar da Marquesa ficamos extremamente felizes, pois o Museu está fechado e será uma oportunidade única do público conhecer um lugar lindo como esse que irá abrigar o futuro Museu da Moda na nossa cidade.”

 

O Evento

O artista plástico Pedro Meyer fará num dos salões na área interna da Casa diversas performances com a participação de outros artistas convidados. Ao longo do evento serão realizadas seis performances com a criação de pinturas feitas em conjunto com os performers convidados. Haverá também uma exposição com artistas visuais que já participaram de edições passadas, como Marcelo Eco, Rafo Castro, Pedro Sanches, Eduardo Denne, Fernanda Ladeira, entre outros.

Conhecido como um movimento que reúne em lugares secretos artistas e bandas que se apresentam em shows intimistas (também de forma surpresa), o projeto inglês Sofar Sounds participará dessa edição. Serão realizados de três a cinco pocket shows, com duração de vinte minutos, onde o público só descobrirá a identidade dos artistas no dia. O movimento acontece em outros lugares do mundo, como Londres, Nova Iorque, Paris e Berlim... e agora aqui, em São Cristóvão, na nossa querida ZN.  

Ao longo do dia a sonorização ficará por conta da DJ Giu, que tocará ritmos latinos e africanos, e do DJ Janot, especialista em música popular brasileira. O evento contará também com cerca de 50 expositores de moda, design, gastronomia e artes plásticas, compondo o festival.

 

Sobre O Cluster

O Cluster é uma plataforma multicultural que reúne jovens de diversos segmentos da cadeia criativa carioca que trabalham de maneira integrada e colaborativa viabilizando negócios entre a cadeia criativa e consumidores gerando, assim, um espaço para novos empreendimentos.

O Cluster surgiu em 2012 do desejo da estilista, curadora e idealizadora do projeto, Carolina Herszenhut, de criar um evento  que reunisse moda, gastronomia, música, artes, design, estudantes e um público interessado em trocar experiências. Desde o início  a proposta foi abrir espaço para o novo, possibilitando uma integração multicultural aberta a todos.

 

A Casa da Marquesa de Santos

Joia arquitetônica do Rio de Janeiro e do Brasil, a Casa da Marquesa de Santos foi  presente do Imperador D. Pedro I para Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, em 1827. Exemplar ímpar da arquitetura neoclássica do século XIX é uma das primeiras edificações tombadas pelo IPHAN, em 1938. Adornada com pinturas decorativas e trabalhos em estuque, a Casa da Marquesa apresenta uma aura graciosa e romântica, mesclando temas do universo feminino com ícones neoclássicos.

O Decreto Estadual 45346, de 20 de agosto de 2015, que institui a Casa da Marquesa de Santos como Museu da Moda Brasileira, reafirma a vocação inerente da Casa para abordar questões sobre o feminino e a importância da mulher na história brasileira. Nesse viés, a moda será tratada como representação cultural e como ponto de partida para explorar questões sociais e de gênero.

A Casa da Marquesa de Santos trata, portanto, da história arquitetônica e cultural do Rio de Janeiro, capital do Império Brasileiro, da Marquesa de Santos e do universo do feminino, dos costumes e da moda no Brasil. O acervo reúne peças representativas desses temas como gravuras de gênero que ilustram a sociedade brasileira, leques, itens do vestuário e objetos do fazer moda, dos séculos XIX ao XXI.

 

Serviço: 18ª edição O Cluster

Dia 20 de novembro, domingo, das 13h às 21h.

Casa da Marquesa de Santos: Av. Pedro II, 293. São Cristóvão, RJ.

Evento gratuito. Haverá vans saindo do Metrô Estação Estácio até o local. 

Classificação livre.

Evento no Facebook

Informações: contato@ocluster. com.br

 

 

Rindo à toa

Rindo à toa

A Janine Falco estava feliz da vida e nos presenteou com uma linda sessão de sorrisos. E é assim que é bom de viver, rindo à toa! 

Bora sorrir, meu povo!

previous arrow
next arrow
Slider