Julho

Julho

12, 13, 19, 20, 26 e 27/07  - Ayrton Montarroyos abre última fase do Festival Levada, no Centro da Música Carioca, na Tijuca

·      Intérprete paulista  teve sua primeira indicação ao Grammy Latino com 17 anos

·      A música de Luê, do Pará é a atração seguinte, dias 12 e 13 de julho

·       Última fase vai trazer artistas do Pará, de São Paulo e do Rio de Janeiro

 

O jovem Ayrton Montarroyos foi o artista convidado para abrir a terceira e última fase do Festival Levada, que será apresentado, durante o mês de julho, no Centro da Música Carioca Arthur da Távola, na Tijuca.  Os shows do intérprete pernambucano acontecem dias 5 e 6 de julho, no horário das 20h.  Na segunda semana, dias 12 e 13 de julho, é a vez de Luê, do Pará, apresentar seu novo trabalho, seguida pelo paulistano Rômulo Fróes, que faz shows dias 19 e 20. O Festival encerra com a carioca Pietá, dias 26 e 27. 

Ayrton Montarroyos pode ser considerado um fenômeno.  Com 22 anos, o intérprete traz na bagagem o segundo lugar no programa The Voice Brasil – onde foi apadrinhado por Lulu Santos e uma indicação ao Grammy Latino aos 17 anos, depois de participar do projeto “100 anos de Herivelto Martins”.  Apesar da pouca idade, suas referências musicais são Cauby Peixoto, Dalva de Oliveira, Luiz Gonzaga e Elis Regina, entre outros medalhões da Música Popular Brasileira.  O repertório do show vai seguir o do seu primeiro CD, Ayrton Montarroyos, lançado ano passado, com produção de Thiago Marques Luiz, que assina também a direção musical do show. Então, prepare-se para ouvir de Cartola   (“Que sejas bem feliz”) à Zé Manoel (“Tu não sabes”), passando por Lula Queiroga (“Portão”) e Caetano Veloso (“Não me arrependo”). Zeca Baleiro compôs especialmente para Ayrton a música “À porta do edifício”. O jovem se apresenta acompanhado pela banda formada por Felipe S,  Rafa Carneiro e Arthur Dossa. 

 

Com shows às quintas e às sextas-feiras e ingressos a preços populares (R$ 20 e R$ 10 para quem paga meia entrada), o Festival Levada tem patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura e da Oi – por meio da Lei de Municipal de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro - Lei do ISS.

Programação Levada 2018

CENTRO DA MÚSICA CARIOCA ARTUR DA TÁVOLA (Rua Conde de Bonfim, 824, na Tijuca). Shows às 20h:

· Dias 5 e 6 de julho – Ayrton Montarroyos (Recife, PE) - Além de compositor, Ayrton se destaca como um dos mais interessantes intérpretes da nova geração. Lançou seu primeiro disco em 2017, mesmo ano em que teve uma passagem bastante elogiada pelo programa The Voice.

· Dias 12 e 13 de julho – Luê (Belém, PA) – Lançou no final de 2017 o seu segundo disco, "Ponto de Mira", com sonoridade mais eletrônica e produção de Zé Nigro, braço direito de Curumin.

· Dias 19 e 20 de julho – Romulo Fróes (São Paulo, SP) - Integrante do quarteto Passo Torto, é considerado um dos principais compositores paulistanos e prepara novo álbum de inéditas. Lançou um disco em homenagem ao sambista Nelson Cavaquinho, uma compilação de músicas suas gravadas por mulheres e um disco com o cantor mineiro César Lacerda.

· Dias 26 e 27 de julho – Pietá (Rio de Janeiro, RJ) - Formado por Frederico Demarca, Rafael Lorga e pela cantora potiguar Juliana Linhares, o trio mistura vários elementos da música popular brasileira e lança o seu segundo CD, “Leve o que quiser”, com participações de Chico César, Claudio Nucci e Carlos Malta.


 

13/07 - Dia do Rock tem shows de Rafael Kadashi e Cidade Nova no Méier

O 13 de julho, celebrado como Dia do Rock, tem programação especial no Rio de Janeiro. Representando a nova safra da música carioca, Rafael Kadashi e Cidade Nova sobem ao palco do Pró Ganja, mostrando a força de seus trabalhos autorais. O evento tem início às 19h, com ingressos a R$10.

Rafael Kadashi é cantor e compositor que começa a trilhar sua trajetória com canções que falam sobre as relações humanas. O primeiro disco, “Quebrado”, tem  uma melancolia urbana única e traz composições levadas ao violão acumuladas como desabafos pessoais. O artista retrata desilusões, paixões e histórias vistas pela cidade do Rio de Janeiro.

O show de Rafael Kadashi é em formato acústico, assim como seu trabalho. Ele ainda é acompanhado de Edu Gomes, que toca cajon; e Eliseu do Nascimento no violão. O repertório conta com as faixas de “Quebrado” e músicas de grandes nomes da música brasileira. Entre as novidades do repertório está a música inédita “Palavras de dor”, que o público poderá ouvir em primeira mão.

Na mesma noite, Cidade Nova mostra o som calcado no rock alternativo nacional, bebendo ainda de sons ingleses e americanos. Atualmente em fase de produção de novas canções, a banda formada pelo vocalista Nickolas Sisnandes, o guitarrista Robson Lopes, o baixista André Ribeiro e o baterista Fabio Souza apresenta suas canções inspiradas por temas diversos, indo de questões políticas e drogas, amor e ódio e outras dualidades.

Os shows acontecem no Pró Ganja, tabacaria localizada na Rua Medina, nº 150, no Méier. Os ingressos custam R$10 e a classificação é de 18 anos.

Serviço

Dia do Rock com Rafael Kadashi e Cidade Nova

Data: 13/07/2018 (sexta-feira)

Horário: 19h (abertura da casa)

Local: Pró Ganja

Endereço: Rua Medina, 150 - Méier - Rio de Janeiro/RJ

Ingressos: R$10


14/07 - TOC 80 Rock Brasil New Wave anos 80

Certos indivíduos levam consigo um rótulo da vida moderna : o T.O.C. Numa tradução bem direta, estamos falando do Transtorno Obsessivo Compulsivo, um distúrbio psiquiátrico que define pessoas que têm em suas rotinas, obsessão por determinadas coisas. Há indivíduos com fixação por limpeza, outros por organização e ainda outros por um período específico, ou era. É neste último grupo de felizardos que nós, da banda TOC 80, nos inspiramos. A TOC 80 vem se apresentando em vários lugares e no dia 14 de julho estará no Centro da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca, em dois horários: às 17h e às 20h.



14/07 - Shopping Jardim Guadalupe promove ‘Aulão Especial’ com apresentação de Ballet Clássico

Neste sábado (14/07), o Shopping Jardim Guadalupe apresenta um ‘Aulão Especial’ com apresentações do grupo de ballet clássico Pink Panther Ballet. O evento é destinado para jovens que gostariam de experimentar o estilo de dança ‘Ballet’. A atração será realizada, das 13h às 18h, no 2° andar do empreendimento. O grupo Pink Panther Ballet é formado por crianças e adolescentes, alunos da Escola Pantera Cor de Rosa/Centro Educacional Simião & Silva de Honório Gurgel: desenvolvendo a cultura através da dança. A organização e direção artística é de Juliana Lopes, bailarina profissional e Solange Nunes, diretora da Escola.

 

Serviço: Shopping Jardim Guadalupe promove ‘Aulão Especial’ com apresentação de Ballet Clássico

Data: sábado, 14 de julho

Horário: 13h

Local: 2º andar

Entrada: Gratuita

O Shopping Jardim Guadalupe fica na Av. Brasil, 22.155 – Guadalupe - Rio de Janeiro - RJ – Telefone: (21) 3512-9100


 

20, 21 e 22/07 - Polos de moda do Rio reúnem mais de 60 marcas em museu de São Cristóvão

Com entrada gratuita, Circuito Moda Carioca oferece, dias 20, 21 e 22 de julho, roupas e acessórios direto dos produtores. Há ainda área gastronômica e infantil

Com várias opções de roupas e acessórios direto dos produtores, a primeira edição do Circuito Moda Carioca de 2018 será realizada nos próximos dias 20, 21 e 22 de julho em São Cristóvão, nos jardins da Casa da Marquesa de Santos - Museu da Moda -  equipamento da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ. Com entrada gratuita, o evento reúne, das 12h às 21h, mais de 60 expositores de polos de moda, arte e design do estado do Rio. O público encontrará peças de coleções atuais e passadas, neste último caso a preços de outlet, direto das grandes marcas como Via Mia e Armadillo, ou de pequenos empreendedores, entre elas, Maria Marioca e Complexo B. Há opções de moda feminina, masculina, íntima, praia, fitness, infantil e acessórios. Pela primeira vez, a área gastronômica receberá uma versão reduzida do evento Gastro Beer Rio, que também é realizado no bairro imperial. Haverá ainda oficinas de moda, de arte e área infantil

Todas as informações sobre o evento estão no portal www.circuitomodacarioca.com.br . O Circuito Moda Carioca tem apoio da Secretaria de Estado da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, da Secretaria de Estado de Cultura, da FUNARJ e do Instituto Libertas

 

ATRAÇÕES:

Produtos com preços de outlet

Quem for ao evento encontrará roupas para toda a família. Há diversas opções como a sandália da Via Mia com 56% de desconto, de R$159 por R$ 69. A marca terá ainda rasteiras por R$ 39, saltos médios, altos e scarpin por R$ 79 e acessórios e cintos por R$ 29. A Isaac T-shirt  levará vestidos a R$ 49,90 e túnicas por R$ 89,90. Descontos de 30% nas regatas de algodão e no short tactel são apostas da DZT.

O público masculino contará com opções como blusas e bermudas da Território Carioca. Para as crianças, a Alecrim Dourado venderá peças a partir de R$ 79,90. Entre os acessórios, há peças da Valéria Pinheiro Atelier como porta talher por R$ 34 e caixa de chá por R$ 32, além de brincos da Dona May custando R$ 49 cada. Já a Kombigode Store terá capas de almofadas por R$25 ou com enchimento por R$35.

Oficinas gratuitas de moda e arte 

Mantendo a tradição, o evento oferecerá oficinas gratuitas de moda e arte. As informações estão no site do evento. 

Pocket do Gastro Beer Rio na área gastronômica

A área gastronômica, montada nos jardins do museu, receberá um pocket do Gastro Beer Rio, evento que também é realizado em São Cristóvão.O novo espaço terá uma média de 20 empresas já conhecidas do público. Entre as cervejarias estão Therezópolis, Dream Bier e Nossa Artesanal, enquanto as opções gastronômicas contam com os hambúrgueres preparados na churrasqueira do Victorian, os crepes do Bom Profit, tortas da Delícias da Vovó, brownie e cookies da Marias Fouet, além das palhas da Tina.

14ª Edição do Circuito Moda Carioca

Data: 20, 21 e 22 de julho de 2018.

Horário: das 12h às 21h

Entrada franca

Local: Casa da Marquesa de Santos - Museu da Moda Brasileira-  Av. Pedro II, 293 - São Cristóvão, Rio de Janeiro - RJ, 20941-000

Transporte: O evento promove a campanha: "VÁ de transportes público"

www.circuitomodacarioca.com.br


21/07 -  Arraia Do Projeto Somos Todos Especiais

mackenzie meier arraiá

Vista sua caipira e vá desfrutar de uma festa maravilhosa de inclusão social amor diversidade e muita dança. Entrada gratuita! Leve um prato de comida típica e se diverta. Às 15 horas no Sport Club Mackenzie que fica na Rua Dias da Cruz, 561 - Meier.


21/07 - Arraiá no Pagode do Biro

Pagode do Biro_foto Henrique Madeira

Foto: Henrique Madeira

Rodrigo Carvalho recebe o Trio Chabocão, numa grande homenagem ao forrozeiro Chico Salles, dia 21 de julho, na Tijuca.

Revivendo os pagodes dos anos 80, no subúrbio do Rio de janeiro, o Pagode do Biro acontece desde 2014, quinzenalmente na Tijuca. Tem o charme de ser uma roda de samba participativa, que recebe um público de diversos bairros da cidade. Pessoas apaixonadas pela cultura carioca e seus costumes, cantando em torno da mesa. Nesse encontro de sambistas, batizado pelo baluarte Zé Luiz do Império, já marcaram presença outros nomes importantes do samba como Marquinho Diniz, Toninho Geraes, Ana Costa, Fred Camacho, Marcelle Motta, Marquinhos China, Marcelinho Moreira, Marina Íris e Zé Katimba.

O encontro, que já é referência na cena carioca, acaba de comemorar 4 anos, e realiza, no dia 21 de julho, seu tradicional Arraiá. Um delicioso encontro do samba “malandreado” de Rodrigo Carvalho, com o irresistível forró pé de serra do Trio Chabocão. O trio fará uma grande homenagem ao saudoso forrozeiro Chico Salles, que animou o Arraiá do Pagode do Biro por dois anos seguidos e faleceu em 2017.

Além da energia contagiante, o Pagode do Biro tem outros atrativos. Culinária tipicamente brasileira, caipirinhas caprichadas, acessórios inspirados na cultura negra e outras atrações também fazem sucesso com os frequentadores e dão um clima especial ao evento. Para o Arraiá, a Quitanda Gastronomia (do famoso Baião do Amor) preparou um delicioso cardápio de comidas típicas.

O anfitrião Rodrigo Carvalho, cantor e compositor, também conhecido como Biro, é digno representante do atual samba carioca. Com passagens pela banda de Beth Carvalho, ainda na década de 1990, e pelo Galocantô, grupo do qual é fundador e ex-vocalista, o artista lançou seu primeiro disco solo em 2017.

Rodrigo é um sambista que “bebe da fonte” desde cedo e leva para a roda um repertório vasto, fruto de uma vida dedicada ao melhor do samba. E o público agradece!

 

Serviço

ARRAIÁ NO PAGODE DO BIRO

QUANDO: sábado, 21 de julho, 18h

ONDE: Sindicato dos Fumageiros (Rua Haddock Lobo, 239 – Tijuca)

QUANTO: R$ 20

E MAIS: Promoções para aniversariantes: producao.rodrigocarvalho@ gmail.com / (21) 9.8728.1928


21/07 - Espaço Matre

espaço matre

Um espaço de muito carinho e amor... Toda gestante, Tentante, puérpera, parceiro e ou acompanhante merecem um espaço acolhedor! 


 

 Até 28/07 - CINE BELA: EXPOSIÇÃO DOMINGOS DE SOL

francisco_valdean_piscinao_de_ramos

Foto: Francisco Valdean

 A programação da exposição Domingos de Sol, em cartaz no Galpão Bela Maré, também contará com a exibição de filmes independentes (curta ou média metragens) que tenham sido realizados nos territórios do recôncavo carioca. No dia 20 de julho, a região que compreende lugares como Paquetá, Caju, Maré, Ramos, Ilha do Fundão, Ilha do Governador e demais ilhas nesses arredores ganhará uma sessão especial no Piscinão de Ramos, Zona Norte do Rio. Os filmes serão selecionados a partir de uma chamada aberta com inscrições até a quinta-feira, dia 5/07.

Serviço

CINE BELA
Link para inscrições: https://goo.gl/for ms/imM2k8DdkzcNGfIy1 
Data limite: 05/07 

Exibição: 20/7

Horário da exibição: 18h
Local da exibição: Piscinão de Ramos - Maré
Email: educativo.belamare@ observatoriodefavelas.org.br
Telefone: 3105-1148 

 

Galpão Bela Maré

EXPOSIÇÃO DOMINGOS DE SOÇL

De 16 de junho a 28 de julho

Rua Bittencourt Sampaio, 169 - Maré

De terça a sábado, das 10h às 18h

Entrada Gratuita

Tel (21) 3105.1148

E-mail: galpaobelamare@gmail.com


Até 30/08 - Exposição fotográfica “Entre Maré e o Alemão” retrata potência do universo cultural dessas comunidades

Foto: Francisco Valdean

Foto: Francisco Valdean - Menino soltando pipa na praça do Conhecimento, uma construção do do PAC na favela Nova Brasília, Conjunto de Favelas do Alemão, Rio de Janeiro.

Mostra, em cartaz no Sesc Ramos até 30 de agosto, traz relatos visuais do cotidiano de fotógrafos das duas comunidades da Zona Norte do Rio. Encontros, em julho e agosto, debatem o fazer fotográfico na região

O Sesc Ramos recebe, até o dia 30 de agosto, a exposição “Entre Maré e Alemão – Relatos Visuais do Cotidiano”. Com curadoria de Francisco Valdean, a mostra reúne a poética de fotógrafos e fotógrafas moradores dessas duas comunidades da Zona Norte do Rio de Janeiro. Os autores - Betinho Casas Novas, Bira Carvalho, Bruno Itan, Joseane Santana, Márcia Farias, Monara Barreto, Rodrigues Moura, Rosilene Miliotti e Veri – vg, além do próprio Valdean - dedicam-se à documentação fotográfica da potência do universo cultural das regiões ondem moram, fugindo de estereótipos. 

Dentro da programação da mostra, no dia 26 de julho, às 17h, será realizado o encontro “A imagem fotográfica do Complexo do Alemão”, com os fotógrafos moradores dessa comunidade. Já no dia 9 de agosto, o tema é “A imagem fotográfica do Complexo da Maré”, em que os fotógrafos dessa comunidade discutem as especificidades da região. Já no dia 30 de agosto, um encontro de encerramento reúne todos os fotógrafos e fotógrafas para uma roda de conversa onde serão abordadas “A favela nas narrativas fotográficas e musicais”.

Maiores conjuntos de favelas da cidade do Rio de Janeiro, os vizinhos Maré e Alemão guardam semelhanças que se refletem na seleção de 18 imagens que contam sobre a vida cultural, religiosa e cotidiana dessas localidades na última década. “Em geral, as regiões faveladas são representadas pelos estereótipos da pobreza ou da violência, mas nessa mostra fotográfica propomos uma rota diferente: apresentamos ao espectador uma favela pulsante e afetuosa. Buscamos uma experiência visual onde a documentação da vida cotidiana é o foco narrativo. As cenas representadas são de uma favela que brinca de bola, solta pipa, pula carnaval, assiste a jogos de futebol no meio da rua ou em bares. Uma favela que circula em transportes alternativos, uma favela artística e também profundamente religiosa”, afirma o curador Francisco Valdean.

 

 

EXPOSIÇÃO ENTRE MARÉ E ALEMÃO – Relatos Visuais do Cotidiano

Até 30 de agosto | 3ª a domingo, das 9h às 18h | Livre | Grátis

Sesc Ramos - R. Teixeira Franco, 38 - Ramos, Rio de Janeiro - RJ, 21060-130

Telefone: (21) 2290-4003

 

Encontros com fotógrafos

Horário: 17h às 19h

Local: Sala de vídeo – Sesc Ramos

Gratuito

Classificação livre

 

26 de julho - A imagem fotográfica do Complexo do Alemão

Um encontro no formato de roda para debater a fotografia produzida no Complexo do Alemão através da produção de fotógrafos moradores. Participantes: Betinho Casas Novas, Bruno Itan, Monara Barreto e Josiane Santana.

Fotógrafo mediador: veri vg

 

9 de agosto -  A imagem fotográfica do Complexo da Maré

Um encontro no formato de roda para debater o tema da fotografia produzida no Complexo da Maré através da produção fotográfica de fotógrafos (as) moradores. Participantes: Francisco Valdean, Bira Carvalho, Marcia Farias, Rosilene Miliotti e veri vg.

Fotógrafa mediadora: Márcia Farias

 

30 de agosto - A favela nas narrativas fotográficas e musicais

Um encontro de encerramento onde todos os fotógrafos e fotógrafas serão convidados para uma roda de conversa onde serão abordadas as paisagens fotográficas e musicais. Participantes: Francisco Valdean, Bira Carvalho e Rodrigues Moura.

Fotógrafa mediadora: Márcia Farias

 

Sobre os fotógrafos:

 

Bira Carvalho

Fotógrafo formado pela Escola de Fotógrafos Populares e coordenador do projeto Imagens do Povo/ Observatório de Favelas. É formado em áudio e vídeo pela Escola de Comunicação Crítica do Observatório de Favelas. É formado em mediação de conflito pela Fundação Getúlio Vargas, morador da Maré há 43 anos. Bira é uma liderança comunitária no Complexo de favelas da Maré.

 

Francisco Valdean

Fotógrafo e coordenador do projeto Imagens do Povo / Observatório de Favelas. Mestre em Ciências Sociais pelo programa de pós-Gradução PPCIS-UERJ. É fotógrafo formado na Escola de Fotógrafos Populares. Como fotógrafo participou das coletivas “Olhar Cúmplice”, na Caixa Cultural RJ, e “Esporte na favela”, no CCBB-RJ, em 2007 (ambas exposições exibidas no Palácio do Planalto); Sonhos Velados, Casa de Cultura Laura Alvim – RJ, em 2009; Em 2010 expôs no Parque Lage do Rio de Janeiro dentro da programação do evento “Verão da Cultura Urgente”, com a coletiva “Periferia.com”; Em 2012 participou da mostra fotográfica Suburbana na galeria Pretos Novos; 2013 participa da mostra fotográfica “The art of celebrating” na galeria Arto na cidade de Saint-Jean-sur-Richelieu, Quebec, Canadá. Em 2015 exibiu seu trabalho em mostra da Universidade de Stanford, USA. Como curador realizou as seguintes exposições fotográficas: No Centro Cultural Sergio Porto “Desde Junho na Ruas do Rio”, 2014. Na galeria 535 do Observatório de Favelas – Maré realizou a exposições fotográfica “XINGU: escritas visuais de Marcia farias”.

 

Betinho Casas Novas

 

Palestrante e fotógrafo há 10 anos, formado em 2008 em reportagem fotográfica. Atualmente é fotojornalista especialista em coberturas de operações militares e conflitos urbanos pelo jornal Voz das Comunidades no Rio de Janeiro. Betinho teve imagens publicadas em grandes jornais do mundo como: The New York Times, Revista Times, The Guardian, El Pais e The Idependent, além de ser pauta no documentário COMPLEXO da Rede Globo no RJ. Trabalhou com Caco Barcelos no Profissão Repórter em São Paulo e é amante e fanático pela fotografia, faz oficinas fotográficas para crianças na comunidade do Alemão, para driblar a violência em seu bairro.

 

Márcia Farias

Fotógrafa formada pela Escola de Fotógrafos Populares em 2009. Trabalhou como fotógrafa e responsável pela indexação, tratamento e arquivo de imagens da instituição Viva Rio de 2009 a 2011. Participou das exposições coletivas: A Maré do seu Tom (2007), Caçadores de Sonhos (2009), Viva Favela 10 Anos (2011). Ministrou aulas de fotografias para o projeto Wikmapas e Curta Favela em 2010. Fez assistência para o fotógrafo Thiago Barros.

 

Rodrigues Moura

Repórter fotográfico, formou-se pela Escola de Fotógrafos Populares em 2006 e pelo Curso de Formação de Educadores em Fotografia em 2010. Atuou no fotojornalismo pela ONG VivaRio (VivaFavela). Atualmente desenvolve um trabalho de documentação fotográfica sobre o meio ambiente. Participou de exposições como: “Por Dentro da Favela”, no Centro Cultural Light, RJ, em 2003; “Rio de Olhos Aberto”, no Centro Cultural dos Correios, RJ, em 2005; “Eco Favela”, itinerante pelas unidades do SESC RJ, em 2005; “Moro na Favela”, exposição itinerante nas comunidades do Rio, em 2006.

Veri – vg

Fotógrafo formado pela Escola de Fotógrafos Populares em 2009, participou também do Curso de Formação de Educadores em Fotografia, em 2010, e do curso de Capacitação Fotografia Arte e Mercado, em 2013, ambos do Programa Imagens do Povo. Foi aluno da primeira turma da ESPOCC (Escola de Comunicação Crítica) no curso de produção de texto realizada pelo Observatório de Favelas, em 2005. Trabalhou na revista “Conexões Urbanas”, do grupo Afroreggae, em 2006; revista “Tangolomango”diversidade cultural, em 2007, e no projeto do Livro “Light nas Comunidades” projeto do Observatório de Favelas/Light, em 2008. É formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro, em direção cinematográfica. Trabalhou na direção do curta metragem “Maria Maré”, projeto do Observatório de Favelas/Canal Futura. Realizou trabalhos fotográficos para Observatório de Favelas, REDES, Rio+20, TEDxMARE, Rio Festival Gay de Cinema, Rio Parada Funk, FLUPP, CREA RJ,

Festival Internacional de Circo, Museu de Favelas, Viva Favela e Travessias. Participou das seguintes exposições fotográficas Na Teia da Memória, 2013; Folia de Imagens, 2014, e Travessias – Arte Contemporânea na Maré, 2014.

 

Rosilene Miliotti

Fotógrafa formada pela Escola Fotógrafos Populares, em 2007. Cursou a Escola Popular de Comunicação Crítica (ESPOCC), realizada pelo Observatório de Favelas, em 2005. Formada em Comunicação Social/Jornalismo, cursa pós-graduação em Gerenciamento de Mídias Digitais. Em 2009 estagiou em comunicação no Observatório de Favelas e atualmente trabalha como jornalista na Redes de Desenvolvimento da Maré. Desenvolve projetos de assessoria de imprensa e na área de mídias digitais.

 


Até 17/08 - Exposição no Sesc Tijuca homenageia patrono da literatura de cordel

Leandro Gomes de Barros

Ministro da Cultura Sergio Sá Leitão participará da abertura da mostra e será condecorado com a medalha Leandro Gomes de Barros. Evento marca inauguração da Cordelteca do Sesc Tijuca e contará com show de Junu, da Terreirada Cearense. Cantor Moraes Moreira e o poeta Mestre Egídio estão entre as presenças confirmadas

O Sesc Tijuca abre nesta sexta-feira (15/6), às 18h, a exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel”, em evento que integra as celebrações pelos100 anos de falecimento do poeta Leandro Gomes de Barros (1865-1918), considerado um dos patronos da literatura de cordel, sendo o primeiro a montar uma estratégia de distribuição nacional. A cerimônia de abertura contará com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que receberá do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), Gonçalo Ferreira da Silva, a medalha Leandro Gomes de Barros, maior honraria da academia.

A mostra apresenta a história do cordel e da arte de xilogravura, dois importantes destaques da cultura nordestina. O público terá acesso a uma coleção com cordéis de Leandro Gomes de Barros, obras que até os dias de hoje são reeditados e estão entre as mais vendidas em todo o território nacional. Também estará em exibição uma coleção de cordéis comemorativos do Centenário de Juazeiro do Norte (2011), município fundado por Padre Cícero, um dos maiores incentivadores do cordel e das expressões culturais e artísticas nordestinas. Estampas obtidas através da xilogravura para capas e ilustrações de cordéis, assim como xilogravuras em alto relevo sobre madeira, também estão entre os destaques da exposição.

Os itens estarão expostos em ambiente que levará os visitantes a uma viagem ao nordeste. Um boneco com a imagem de Leandro Gomes de Barros, confeccionado pelo artista plástico Pedro Ferreira, dará as boas-vindas aos visitantes. Uma barraca de praça, onde tradicionalmente os cordéis são vendidos em cidades do nordeste e em feiras típicas do sudeste, compõe a ambientação da exposição, que contará ainda com imagens de Padre Cícero em borracha reciclada, uma alusão ao engajamento do sacerdote cearense às causas ambientais.

Um item da exposição chama a atenção para a condição do cordelista imigrante em tempos de censura: uma maleta de cordéis em que os artistas levavam suas obras para comercializar nas praças no sudeste do Brasil. A peça lembra os cordelistas que foram perseguidos pela polícia sob a acusação de escrever sobre temas de liberdade social e igualdade ente os povos.

CORDELTECA DO SESC TIJUCA – A abertura da exposição marca também a inauguração da Cordelteca do Sesc Tijuca, que ganhou o nome do presidente da ABLC: Gonçalo Ferreira da Silva. Trata-se da 27ª cordelteca chancelada pela academia no país – a 4ª no estado do Rio. O espaço, que fica dentro da biblioteca da unidade, é inaugurado em um momento importante para essa manifestação artística: a literatura de cordel está prestes a ser reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como Patrimônio Imaterial Brasileiro. Para celebrar a abertura da exposição e da cordelteca, o cantor Junu, idealizador da festa e do bloco Terreirada Cearense, apresenta show com seu repertório de canções com ritmos nordestinos, como baião, xaxado, samba, xote, ciranda, marcha, cabaçal e coco. Haverá também apresentação de cordelistas do Rio e de São Paulo. Entre as personalidades ilustres que confirmaram presença no evento estão o cantor e compositor Moraes Moreira e o poeta Mestre Egídio, de Juazeiro do Norte.

NORDESTE É AQUI – A exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel” fica em exibição no Sesc Tijuca até o dia 17 de agosto. Depois, parte para o Sesc Campos, no norte do estado, onde fica entre 5 de setembro e 31 de outubro. O Sesc Nova Iguaçu recebe a mostra de 10 de novembro a 30 de dezembro. A exposição compõe o projeto O Nordeste é Aqui no Sesc RJ, cujo objetivo é preservar as tradições nordestinas e refletir sobre sua importância para o Rio de Janeiro e o restante do país. Além de exposições, a iniciativa conta com uma programação com cursos, oficinas, debates, shows e outras atividades alusivas à cultura nordestina. A programação completa, que se estende até dezembro, pode ser consultada em www.nordesteaquisescrj.com.br.   

Abertura da exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel”

Abertura da Cordelteca Gonçalo Ferreira da Silva

Dia 15/6/2018 – 18h

Sesc Tijuca: R. Barão de Mesquita, 539

Entrada franca

Visitação à exposição: Terça a sexta-feira (das 9h às 21h) e sábados, domingos e feriados (das 9h30 às 17h30). Até 17 de agosto.

Funcionamento da cordelteca: Terça a sexta-feira (das 12h às 20h30) e sábados (das 9h às 18h)


Programação Imperator

imperator

04 de julho - MÁRCIO GOMES – ETERNAS CANÇÕES

Evento mensal pautado sempre em uma quarta-feira do mês

 

Em abril de 2014, se iniciou uma nova etapa no Imperator - Centro Cultural João Nogueira, um show à tarde, chamado “Eternas Canções”. Sucessos que não se ouvem todos os dias nas Rádios ou TVs, porém fazem parte da vida da grande maioria dos brasileiros. Márcio Gomes criou esse espetáculo onde há um improviso em comum acordo com a plateia. O público escolhe três cantoras e três cantores da Era do Rádio e Márcio canta seus respectivos êxitos. O show, de imediato, tornou-se um sucesso, tendo lotações esgotadas e uma disputa imensa de lugares para as apresentações seguintes.

 

Serviço:

Evento: MÁRCIO GOMES – ETERNAS CANÇÕES

Data: 04 de julho

Horário: Quarta-feira, às 16h | Abertura da casa: 1h antes do evento

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Teatro)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Plateia inferior e balcão – R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: Livre

Duração: 90 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

05 de junho - SANDRA DE SÁ – BACULÊJU DA DE SÁ

 

O mais recente projeto da artista é o "Baculêju", que teve início em casa, no cervejal com a sua banda, onde despretensiosamente experimentava vários ritmos e vertentes. A ideia deu tão certo, tanto que resolveu dividir com os amigos e com seu público esse momento mágico, levando para os palcos uma brincadeira gostosa; esse caldeirão musical. Nasce assim o "Baculêju da de Sá", essa roda de groove. O baculêju da De Sá é um ritual materializado em Sarau quinzenal, onde varias artes e estilos musicais se misturam, potencializando oportunidades para a arte de trabalhar com as artes. O projeto teve inicio com Sandra De Sá, há cerca de 5 anos e já recebeu grandes nomes da música popular brasileira. O novo formato do Baculêju da De Sá vem trazendo novos artistas de importante relevância cultural.

 

Serviço:

Evento: SANDRA DE SÁ – BACULÊJU DA DE SÁ

Data: 05 de julho

Horário: Quinta-feira, às 21h | Abertura da casa: 1h antes do evento

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Teatro)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Pista, plateia inferior e balcão – R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: 14 anos

Duração do espetáculo: 90 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

08 de julho: HALLYU RIO – CULTURA COREANA

 

A Onda Coreana é um neologismo referente à popularização da cultura sul-coreana a partir dos anos 1990. O termo foi originado pelos jornalistas de Pequim, que se surpreenderam com a crescente popularidade da cultura sul-coreana na China. Este fenômeno foi referido mais tarde como Hallyu, que significa "fluxo da Coreia". Ele foi impulsionado pela exportação de dramas coreanos, como Autumn Fairy Tale e Winter Sonata, além de músicas e filmes.

 

O evento irá promover palestras e debates sobre intercâmbio, trabalho e vida na Coreia. Na palestra: ‘Como eu fui para a Coreia’’ terão convidados intercambistas compartilhando suas experiências com a cultura. Além disso, terão Hanbok (roupa tradicional Coreana), Demonstrações de Taekwondo, Hangul (Escola de Coreano, apresentando a língua aos participantes), workshops da culinária coreana, concurso de canto, entre outras atividades.

 

Serviço:

Evento: HALLYU RIO – CULTURA COREANA

Data: 08 de julho

Horário: Domingo, às 13h

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Teatro)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Pista – R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: Livre

Duração do espetáculo: 300 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

08 de julho - FEIJOADA E RODA DE CHORO com CHORO NOVO

Evento mensal pautado sempre em um domingo do mês

 

Realizado em um domingo por mês, a "Feijoada e Roda de Choro" reúne famílias e amigos de diversos lugares da Zona Norte do Rio, sempre com apresentações gratuitas de grupos musicais de choro, ritmo genuinamente carioca. E para fazer um casamento perfeito, a apresentação é acompanhada por uma deliciosa feijoada, que pode ser adquirida antecipadamente na bilheteria da casa.

 

Na edição de junho, o projeto recebe o grupo Choro Novo. Formado por Abel Luiz (Cavaquinho, Bandolim, Viola caipira, Violão tenor), Marlon Mouzer (Violão 7 cordas) e Reinaldo Pestana (Bateria e Percussão), o grupo tem o choro como elemento condutor para experimentações e criações com informações da contemporaneidade. 

 

Era apenas o encontro de três músicos que se reuniam para tocar choro nas horas vagas. E o que era choro ia navegando livre por novos ritmos e sonoridades. A cada encontro a massa ia dando mais liga. Deu tanto que criaram o grupo Choro Novo e lançaram o primeiro CD “Sotaques e Influências” no Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF).

 

Formado por Abel Luiz (Cavaquinho, Bandolim, Viola caipira, Violão tenor), Marlon Mouzer (Violão 7 cordas) e Reinaldo Pestana (Bateria e Percussão), o grupo tem o choro como elemento condutor para experimentações e criações com informações da contemporaneidade. Tanto é assim que o primeiro CD do trio vai além do choro, embora o gênero seja o ponto de partida. “O choro é nossa escola, bebemos dessa fonte. A partir da riqueza técnica e musical que o choro nos dá, fizemos um CD de música instrumental brasileira”, explica Abel Luiz, autor quatro músicas gravadas na bolachinha.

 

Nas nove faixas do CD - totalmente autoral com composições dos três músicos -, percebe-se o choro como base para viagens sonoras com influências do frevo, baião, samba e jazz, celebrando a cultura e a criativa música brasileira.

 

Serviço:

Evento: FEIJOADA E RODA DE CHORO com CHORO NOVO

Linguagem: Música e gastronomia

Data: 08 de julho

Horário: Domingo, às 14h.

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Terraço)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Roda de Choro – Gratuito. Sujeito a lotação

Feijoada – R$ 25 (bebidas não incluídas)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: Livre

Duração do evento: 120 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

13 de julho - RIO NOVO ROCK APRESENTA: DIA MUNDIAL DO ROCK

 

A data mais esperada do ano chegou!  O Rio Novo Rock apresenta o Dia Mundial do Rock 2018 com um line pesadíssimo! E o melhor: em plena sexta-feira 13!

Duas das atrações são novíssimas bandas da cena independente carioca, mas com integrantes veteranos de outros grupos.

Meu Funeral é formado por Lucas Araujo (ex-RivoTrio 2mg), Jan Santoro (Facção Caipira/Jan), Luis Felipe Leão “Peep” (ex-Clashing Clouds) e Matheus Jorell (Filhos do Totem e ex-Lougo Mouro). Com um Hardcore direto, a banda lança seu primeiro EP, intitulado “Demo”.

 

60's Pop, 70's Fuzz, 2018's mind. Essa é a pegada da Pretty Babies, formada por Gabriel Moura (Highjack), Pedro Domicio (Selfdecay) e Lucas Leão (Beach Combers). A banda lançou em maio seu primeiro single e clipe, Cigarettes, e lançará em breve o álbum de estreia desse projeto ousado, dançante, eletrizante e cativante.

 

Já o trio carioca de rock alternativo menores atos lança seu novo disco “Lapso”, trabalho que sucede o elogiado “Animalia” (2014), que colocou a banda entre as mais cultuadas do cenário underground atual. Com shows intensos e refrões marcantes, menores atos já esteve presente em grandes festivais, como o DoSol (Natal-RN) e o Bananada (Goiânia-GO), além de vários dos principais palcos do país, como Circo Voador, Fundição Progresso, Imperator, Hangar 110, entre outros. Hoje, menores atos é formado por Cyro Sampaio (guitarra/voz), Ricardo Mello (bateria) e Celso Lehnemann (baixo).

 

Para completar o line, o Dia Mundial do Rock conta com os sets do pioneiro DJ José Roberto Mahr e projeções dos VJs Photon Duo. E ainda vai rolar a já tradicional Feira Rock com artigos do gênero.

 

Serviço:

Evento: RIO NOVO ROCK APRESENTA: DIA MUNDIAL DO ROCK

Linguagem: Música

Data: 13 de julho

Horário: Sexta-feira, às 20h

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Teatro)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Pista – R$ 20 (inteira) / R$ 10 (meia)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: 16 anos

Duração do espetáculo: 210 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

13 de julho – abertura exposição Rio Novo Rock / 4 anos – O Despertar do tempo

 

Rio Novo Rock / 4 Anos - O Despertar do Tempo

 

Assim como os primeiros quatro anos da infância transformam o ser humano em um animal capaz de falar, pensar, imaginar, fazer e sonhar, o Rio Novo Rock formou, neste mesmo tempo, toda uma nova geração capaz de entender o rock e suas vertentes como forma de expressão e de realização, muito maior do que as ensinadas nos livros das escolas ou impostas pelo capitalismo vigente.

No RNR, as pessoas viram que a sua própria geração está criando o novo mundo, onde suas ideias são ouvidas em alto e bom som, reverberadas em músicas, vídeos, performances e shows que incitam o encontro dessas tribos, fortalecendo o senso de pertencimento coletivo em busca de uma vida melhor. Seja ela qual for.

A exposição Rio Novo Rock 4 Anos – O Despertar do Tempo terá fotos, vídeos, materiais de divulgação e intervenções, que contarão a história do evento de forma criativa. A mostra abordará os artistas, bandas e profissionais que passaram pelo RNR e a relação deles com a cena de rock independente do Rio e do Brasil, assim como a busca pela profissionalização e pelo desenvolvimento pessoal através da música e da arte.

Em paralelo, pocket shows gratuitos de novas bandas rolarão em outros espaços do Imperator, ao lado de workshops e oficinas de música e de cultura rock.

Dessa forma, o Rio Novo Rock amplia suas áreas de atuação, mantendo sempre o compromisso com a arte e o objetivo de inspirar novas plateias, cenas e artistas.

Rio Novo Rock. O Rock se encontra aqui!

 

Serviço:

Evento: RIO NOVO ROCK / 4 ANOS – O DESPERTAR DO TEMPO

Data abertura: 13 de julho

Horário: 18h

Local do Evento: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Sala de Exposições)

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Visitação: A partir de 14/07, Terça a Domingo: 13h às 22h (até 06/01/2019)

Valor do Ingresso: Gratuito

Classificação: Livre

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

 

14 de julho - PAGODE DO ARLINDINHO – EDIÇÃO ESPECIAL COPA DO MUNDO

Convidadas : Débora Cruz e Juliana Diniz

No próximo dia 14 de julho, o cantor, sambista, compositor e instrumentista Arlindinho se apresenta com as cantoras de samba Débora Cruz e Juliana Diniz no Imperator com o show: “Pagode do Arlindinho – Edição Copa do Mundo”. O show acontece um dia antes da final da Copa do Mundo 2018. "Essa é a estreia de um projeto solo produzido integralmente por mim no Imperator, um dos mais respeitados espaços culturais da cidade. O Pagode do Arlindinho tem a felicidade de contar com um time de convidadas craques no samba, que dividirão o palco comigo num show de muita energia e que vai mexer com a emoção do nosso público", explica Arlindinho.

 

As cantoras já foram reconhecidas como revelações no mundo do samba e hoje trilham a sua própria história. Filhas de sambistas renomados, Débora Cruz, filha de Acyr Marques e sobrinha de Arlindo Cruz, é cantora de samba e intérprete de samba-enredo da GRES Mocidade Independente de Padre Miguel (Grupo Especial, RJ) e Vila Maria (São Paulo, SP); a partideira Juliana Diniz, filha de Mauro Diniz e neta de Monarco, carrega o samba no sangue e na voz firme na interpretação de sambas clássicos.

 

Na trilha sonora do Pagode do Arlindinho não podem faltar composições do Mestre Arlindo Cruz 'O Show tem que Continuar', 'O Meu Lugar' e 'Não Valeu', além de composições autorais do Arlindinho como "Meu caminho", "Você é o Espinho e Não a Flor" e "Bom Aprendiz". Nessa edição, as artistas convidadas interpretam sambas tradicionais de baluartes do samba entre obras inéditas gravadas por elas.

 

O Pagode do Arlindinho é um projeto cultural criado em 2015 idealizado e 100% produzido por cantor, sambista, compositor e instrumentista Arlindinho através do escritório Lado A Lado B. Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Rio Grande do Sul (RS), Bahia (BA), Maranhão (MA), Santa Catarina (SC), Rio Grande do Norte (RN), Paraíba (PB), Pará (PA), Amazonas (AM), Roraima (RR), Amapá (AP) estão entre os estados que Arlindinho já se apresentou com artistas convidados com esse projeto.

 

Serviço:

Evento: PAGODE DO ARLINDINHO – EDIÇÃO ESPECIAL COPA DO MUNDO

Convidadas: Débora Cruz, Juliana Diniz e Thais Macedo

Data: 14 de julho

Horário: Sábado, às 21h | Abertura da casa: 1h antes do evento

Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Teatro)

EndereçoRua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ

Valor do Ingresso: Balcão, plateia inferior e pista – R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia)

Local de venda: Bilheteria do Centro Cultural, Terça e Quarta: 13h às 20h30; Quinta a sábado: 13h às 21h30; Domingo: 13h às 19h30. Ou através do site ingressorapido.com.br

Classificação: 16 anos

Duração do espetáculo: 100 minutos

Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.

Agosto

Agosto

 

Até 30/08 - Exposição fotográfica “Entre Maré e o Alemão” retrata potência do universo cultural dessas comunidades

Foto: Francisco Valdean

Foto: Francisco Valdean - Menino soltando pipa na praça do Conhecimento, uma construção do do PAC na favela Nova Brasília, Conjunto de Favelas do Alemão, Rio de Janeiro.

Mostra, em cartaz no Sesc Ramos até 30 de agosto, traz relatos visuais do cotidiano de fotógrafos das duas comunidades da Zona Norte do Rio. Encontros, em julho e agosto, debatem o fazer fotográfico na região

O Sesc Ramos recebe, até o dia 30 de agosto, a exposição “Entre Maré e Alemão – Relatos Visuais do Cotidiano”. Com curadoria de Francisco Valdean, a mostra reúne a poética de fotógrafos e fotógrafas moradores dessas duas comunidades da Zona Norte do Rio de Janeiro. Os autores - Betinho Casas Novas, Bira Carvalho, Bruno Itan, Joseane Santana, Márcia Farias, Monara Barreto, Rodrigues Moura, Rosilene Miliotti e Veri – vg, além do próprio Valdean - dedicam-se à documentação fotográfica da potência do universo cultural das regiões ondem moram, fugindo de estereótipos. 

Dentro da programação da mostra, no dia 26 de julho, às 17h, será realizado o encontro “A imagem fotográfica do Complexo do Alemão”, com os fotógrafos moradores dessa comunidade. Já no dia 9 de agosto, o tema é “A imagem fotográfica do Complexo da Maré”, em que os fotógrafos dessa comunidade discutem as especificidades da região. Já no dia 30 de agosto, um encontro de encerramento reúne todos os fotógrafos e fotógrafas para uma roda de conversa onde serão abordadas “A favela nas narrativas fotográficas e musicais”.

Maiores conjuntos de favelas da cidade do Rio de Janeiro, os vizinhos Maré e Alemão guardam semelhanças que se refletem na seleção de 18 imagens que contam sobre a vida cultural, religiosa e cotidiana dessas localidades na última década. “Em geral, as regiões faveladas são representadas pelos estereótipos da pobreza ou da violência, mas nessa mostra fotográfica propomos uma rota diferente: apresentamos ao espectador uma favela pulsante e afetuosa. Buscamos uma experiência visual onde a documentação da vida cotidiana é o foco narrativo. As cenas representadas são de uma favela que brinca de bola, solta pipa, pula carnaval, assiste a jogos de futebol no meio da rua ou em bares. Uma favela que circula em transportes alternativos, uma favela artística e também profundamente religiosa”, afirma o curador Francisco Valdean.

 

 

EXPOSIÇÃO ENTRE MARÉ E ALEMÃO – Relatos Visuais do Cotidiano

Até 30 de agosto | 3ª a domingo, das 9h às 18h | Livre | Grátis

Sesc Ramos - R. Teixeira Franco, 38 - Ramos, Rio de Janeiro - RJ, 21060-130

Telefone: (21) 2290-4003

 

Encontros com fotógrafos

Horário: 17h às 19h

Local: Sala de vídeo – Sesc Ramos

Gratuito

Classificação livre

 

26 de julho - A imagem fotográfica do Complexo do Alemão

Um encontro no formato de roda para debater a fotografia produzida no Complexo do Alemão através da produção de fotógrafos moradores. Participantes: Betinho Casas Novas, Bruno Itan, Monara Barreto e Josiane Santana.

Fotógrafo mediador: veri vg

 

9 de agosto -  A imagem fotográfica do Complexo da Maré

Um encontro no formato de roda para debater o tema da fotografia produzida no Complexo da Maré através da produção fotográfica de fotógrafos (as) moradores. Participantes: Francisco Valdean, Bira Carvalho, Marcia Farias, Rosilene Miliotti e veri vg.

Fotógrafa mediadora: Márcia Farias

 

30 de agosto - A favela nas narrativas fotográficas e musicais

Um encontro de encerramento onde todos os fotógrafos e fotógrafas serão convidados para uma roda de conversa onde serão abordadas as paisagens fotográficas e musicais. Participantes: Francisco Valdean, Bira Carvalho e Rodrigues Moura.

Fotógrafa mediadora: Márcia Farias

 

Sobre os fotógrafos:

 

Bira Carvalho

Fotógrafo formado pela Escola de Fotógrafos Populares e coordenador do projeto Imagens do Povo/ Observatório de Favelas. É formado em áudio e vídeo pela Escola de Comunicação Crítica do Observatório de Favelas. É formado em mediação de conflito pela Fundação Getúlio Vargas, morador da Maré há 43 anos. Bira é uma liderança comunitária no Complexo de favelas da Maré.

 

Francisco Valdean

Fotógrafo e coordenador do projeto Imagens do Povo / Observatório de Favelas. Mestre em Ciências Sociais pelo programa de pós-Gradução PPCIS-UERJ. É fotógrafo formado na Escola de Fotógrafos Populares. Como fotógrafo participou das coletivas “Olhar Cúmplice”, na Caixa Cultural RJ, e “Esporte na favela”, no CCBB-RJ, em 2007 (ambas exposições exibidas no Palácio do Planalto); Sonhos Velados, Casa de Cultura Laura Alvim – RJ, em 2009; Em 2010 expôs no Parque Lage do Rio de Janeiro dentro da programação do evento “Verão da Cultura Urgente”, com a coletiva “Periferia.com”; Em 2012 participou da mostra fotográfica Suburbana na galeria Pretos Novos; 2013 participa da mostra fotográfica “The art of celebrating” na galeria Arto na cidade de Saint-Jean-sur-Richelieu, Quebec, Canadá. Em 2015 exibiu seu trabalho em mostra da Universidade de Stanford, USA. Como curador realizou as seguintes exposições fotográficas: No Centro Cultural Sergio Porto “Desde Junho na Ruas do Rio”, 2014. Na galeria 535 do Observatório de Favelas – Maré realizou a exposições fotográfica “XINGU: escritas visuais de Marcia farias”.

 

Betinho Casas Novas

 

Palestrante e fotógrafo há 10 anos, formado em 2008 em reportagem fotográfica. Atualmente é fotojornalista especialista em coberturas de operações militares e conflitos urbanos pelo jornal Voz das Comunidades no Rio de Janeiro. Betinho teve imagens publicadas em grandes jornais do mundo como: The New York Times, Revista Times, The Guardian, El Pais e The Idependent, além de ser pauta no documentário COMPLEXO da Rede Globo no RJ. Trabalhou com Caco Barcelos no Profissão Repórter em São Paulo e é amante e fanático pela fotografia, faz oficinas fotográficas para crianças na comunidade do Alemão, para driblar a violência em seu bairro.

 

Márcia Farias

Fotógrafa formada pela Escola de Fotógrafos Populares em 2009. Trabalhou como fotógrafa e responsável pela indexação, tratamento e arquivo de imagens da instituição Viva Rio de 2009 a 2011. Participou das exposições coletivas: A Maré do seu Tom (2007), Caçadores de Sonhos (2009), Viva Favela 10 Anos (2011). Ministrou aulas de fotografias para o projeto Wikmapas e Curta Favela em 2010. Fez assistência para o fotógrafo Thiago Barros.

 

Rodrigues Moura

Repórter fotográfico, formou-se pela Escola de Fotógrafos Populares em 2006 e pelo Curso de Formação de Educadores em Fotografia em 2010. Atuou no fotojornalismo pela ONG VivaRio (VivaFavela). Atualmente desenvolve um trabalho de documentação fotográfica sobre o meio ambiente. Participou de exposições como: “Por Dentro da Favela”, no Centro Cultural Light, RJ, em 2003; “Rio de Olhos Aberto”, no Centro Cultural dos Correios, RJ, em 2005; “Eco Favela”, itinerante pelas unidades do SESC RJ, em 2005; “Moro na Favela”, exposição itinerante nas comunidades do Rio, em 2006.

Veri – vg

Fotógrafo formado pela Escola de Fotógrafos Populares em 2009, participou também do Curso de Formação de Educadores em Fotografia, em 2010, e do curso de Capacitação Fotografia Arte e Mercado, em 2013, ambos do Programa Imagens do Povo. Foi aluno da primeira turma da ESPOCC (Escola de Comunicação Crítica) no curso de produção de texto realizada pelo Observatório de Favelas, em 2005. Trabalhou na revista “Conexões Urbanas”, do grupo Afroreggae, em 2006; revista “Tangolomango”diversidade cultural, em 2007, e no projeto do Livro “Light nas Comunidades” projeto do Observatório de Favelas/Light, em 2008. É formado pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro, em direção cinematográfica. Trabalhou na direção do curta metragem “Maria Maré”, projeto do Observatório de Favelas/Canal Futura. Realizou trabalhos fotográficos para Observatório de Favelas, REDES, Rio+20, TEDxMARE, Rio Festival Gay de Cinema, Rio Parada Funk, FLUPP, CREA RJ,

Festival Internacional de Circo, Museu de Favelas, Viva Favela e Travessias. Participou das seguintes exposições fotográficas Na Teia da Memória, 2013; Folia de Imagens, 2014, e Travessias – Arte Contemporânea na Maré, 2014.

 

Rosilene Miliotti

Fotógrafa formada pela Escola Fotógrafos Populares, em 2007. Cursou a Escola Popular de Comunicação Crítica (ESPOCC), realizada pelo Observatório de Favelas, em 2005. Formada em Comunicação Social/Jornalismo, cursa pós-graduação em Gerenciamento de Mídias Digitais. Em 2009 estagiou em comunicação no Observatório de Favelas e atualmente trabalha como jornalista na Redes de Desenvolvimento da Maré. Desenvolve projetos de assessoria de imprensa e na área de mídias digitais.

 


Até 17/08 - Exposição no Sesc Tijuca homenageia patrono da literatura de cordel

Leandro Gomes de Barros

Ministro da Cultura Sergio Sá Leitão participará da abertura da mostra e será condecorado com a medalha Leandro Gomes de Barros. Evento marca inauguração da Cordelteca do Sesc Tijuca e contará com show de Junu, da Terreirada Cearense. Cantor Moraes Moreira e o poeta Mestre Egídio estão entre as presenças confirmadas

O Sesc Tijuca abre nesta sexta-feira (15/6), às 18h, a exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel”, em evento que integra as celebrações pelos100 anos de falecimento do poeta Leandro Gomes de Barros (1865-1918), considerado um dos patronos da literatura de cordel, sendo o primeiro a montar uma estratégia de distribuição nacional. A cerimônia de abertura contará com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que receberá do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), Gonçalo Ferreira da Silva, a medalha Leandro Gomes de Barros, maior honraria da academia.

A mostra apresenta a história do cordel e da arte de xilogravura, dois importantes destaques da cultura nordestina. O público terá acesso a uma coleção com cordéis de Leandro Gomes de Barros, obras que até os dias de hoje são reeditados e estão entre as mais vendidas em todo o território nacional. Também estará em exibição uma coleção de cordéis comemorativos do Centenário de Juazeiro do Norte (2011), município fundado por Padre Cícero, um dos maiores incentivadores do cordel e das expressões culturais e artísticas nordestinas. Estampas obtidas através da xilogravura para capas e ilustrações de cordéis, assim como xilogravuras em alto relevo sobre madeira, também estão entre os destaques da exposição.

Os itens estarão expostos em ambiente que levará os visitantes a uma viagem ao nordeste. Um boneco com a imagem de Leandro Gomes de Barros, confeccionado pelo artista plástico Pedro Ferreira, dará as boas-vindas aos visitantes. Uma barraca de praça, onde tradicionalmente os cordéis são vendidos em cidades do nordeste e em feiras típicas do sudeste, compõe a ambientação da exposição, que contará ainda com imagens de Padre Cícero em borracha reciclada, uma alusão ao engajamento do sacerdote cearense às causas ambientais.

Um item da exposição chama a atenção para a condição do cordelista imigrante em tempos de censura: uma maleta de cordéis em que os artistas levavam suas obras para comercializar nas praças no sudeste do Brasil. A peça lembra os cordelistas que foram perseguidos pela polícia sob a acusação de escrever sobre temas de liberdade social e igualdade ente os povos.

 

CORDELTECA DO SESC TIJUCA – A abertura da exposição marca também a inauguração da Cordelteca do Sesc Tijuca, que ganhou o nome do presidente da ABLC: Gonçalo Ferreira da Silva. Trata-se da 27ª cordelteca chancelada pela academia no país – a 4ª no estado do Rio. O espaço, que fica dentro da biblioteca da unidade, é inaugurado em um momento importante para essa manifestação artística: a literatura de cordel está prestes a ser reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como Patrimônio Imaterial Brasileiro. Para celebrar a abertura da exposição e da cordelteca, o cantor Junu, idealizador da festa e do bloco Terreirada Cearense, apresenta show com seu repertório de canções com ritmos nordestinos, como baião, xaxado, samba, xote, ciranda, marcha, cabaçal e coco. Haverá também apresentação de cordelistas do Rio e de São Paulo. Entre as personalidades ilustres que confirmaram presença no evento estão o cantor e compositor Moraes Moreira e o poeta Mestre Egídio, de Juazeiro do Norte.

 

NORDESTE É AQUI – A exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel” fica em exibição no Sesc Tijuca até o dia 17 de agosto. Depois, parte para o Sesc Campos, no norte do estado, onde fica entre 5 de setembro e 31 de outubro. O Sesc Nova Iguaçu recebe a mostra de 10 de novembro a 30 de dezembro. A exposição compõe o projeto O Nordeste é Aqui no Sesc RJ, cujo objetivo é preservar as tradições nordestinas e refletir sobre sua importância para o Rio de Janeiro e o restante do país. Além de exposições, a iniciativa conta com uma programação com cursos, oficinas, debates, shows e outras atividades alusivas à cultura nordestina. A programação completa, que se estende até dezembro, pode ser consultada em www.nordesteaquisescrj.com.br.   

 

Abertura da exposição “Cordel e Cantadores - Brasil, a República do Cordel”

Abertura da Cordelteca Gonçalo Ferreira da Silva

Dia 15/6/2018 – 18h

Sesc Tijuca: R. Barão de Mesquita, 539

Entrada franca

Visitação à exposição: Terça a sexta-feira (das 9h às 21h) e sábados, domingos e feriados (das 9h30 às 17h30). Até 17 de agosto.

Funcionamento da cordelteca: Terça a sexta-feira (das 12h às 20h30) e sábados (das 9h às 18h)