Casa Aberta comemora 2 anos de coletivo tijucano

Obra de Rafael Geraldo

Casa Aberta Comemora 2 Anos de Coletivo Tijucano

alexandre aguiar

Trabalho de Alexandre Aguiar

A programação inclui compras, comidinhas e convidados

Para comemorar seus 2 anos ocupando um sobrado antigo na bucólica Rua Babilônia da Tijuca o coletivo Casa Amarela realizará no dia 08/04 (sábado) seu tradicional “portas abertas” intitulado CASA ABERTA. Em clima de bazar aconchegante o dia será voltado para receber amigos, clientes, curiosos e agregados que buscam em pequenos produtores locais produtos criativos.

Todos os espaços da Casa estarão em pleno vapor! Além da Loja Coletiva os outros ateliês (que geralmente funcionam somente com hora marcada) também receberão os visitantes durante o dia. Entre as mais de 25 marcas que estarão presentes é possível encontrar moda, acessórios e decoração. Lançamentos, coleções novinhas, descontos e brindes não vão faltar!

Moda sustentável, peças autorais e produtos artesanais ocupam toda a Casa que conta com pequenos estilistas como Nathalia Otero (by Nathalia Otero), Gisele Caldas (Fridoka) e Mana Malta (Orgânica). Karen Grimmer (Grimmer) ocupa uma das salas do coletivo onde trabalha na criação de bolsas de couro com estamparia manual e parceria com artistas como Renata Botelho com quem divide espaço para as aulas de aquarela. O arquiteto Alexandre Aguiar produz suas peças em cimento no quintal da Casa onde o cliente pode escolher inclusive a planta que o deseja no vaso. Também é possível encontrar produtos de profissionais de outros estados que tem na Casa Amarela seu  ponto fixo no Rio, como as louças pintadas à mão da artista plástica Lídia Quaresma (de Natal) e os bodies infantis da Honey Peppers (de São Paulo).

Obra de Rafael Geraldo

Obra de Rafael Geraldo

Entre os convidados quem marca presença é o icônico e clássico Rafael Geraldo, responsável pelos 4 painéis de grafitti da Casa. Para quem se apaixona pelo painel com flamingos localizado na entrada do coletivo a notícia é boa: Rafael levará flâmulas de madeira com reprodução da arte para venda.

O programinha de sábado também inclui comidinhas, bebidas e até visual novo. O Chef Gustavo Fonseca comandará a cozinha de onde sairão os disputados burgers artesanais e sanduíches fresquinhos, com direito a sobremesas preparadas pela Kel Gastronomia (incluindo chocolates diferentões para Páscoa) e bar com rodadas de cerveja e outras bebidas por conta da casa. Para quem quiser sair de lá com um corte de cabelo mais descolado as tesouras da Gabi Weiser farão o trabalho por R$ 30.

Orgânica_Casa Aberta
Chef Gustavo Fonseca
Kel Gastronomia
Artista Plástica Lídia Quaresma
Mana Malta (Orgânica)
Arrow
Arrow
Orgânica - Casa Aberta
Slider

O programa pode ser uma boa pedida para quem busca opções criativas de presentes para a Páscoa!

10h às 20h

Casa Amarela (Rua Babilônia 18A, Tijuca)

(21) 3189.6658

Kenner NK5 – A nova geração de um clássico

capa-youtube-editoral-kenner

Kenner NK5 - A nova geração de um clássico

Quem nunca desejou ou teve uma sandália Kenner pra chamar de sua? Símbolo de conforto, ícone de desejo, ter um Kenner no pé trazia status a toda uma geração que cresceu apaixonada pela borracha macia e inesquecível do solado. Esse misto de paixão e nostalgia inspirou o editorial NK5, que traz uma nova geração das Sandálias Kenner, nos pés de quem hoje faz a diferença nos quatro cantos da cidade. Seja no rap, no grafite ou na moda, o clássico, o urbano e o moderno se misturam e se traduzem na nossa interpretação deste produto exclusivo e que continua conquistando corações e pés por aí.

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_1

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_2

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_3

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_4

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_5

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_6

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_7

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_8

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_9

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_10

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_11

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_12

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_13

Kenner NK5 por Zona Norte Etc - Bleia Campos_14

Créditos

Fotógrafa: Bleia Campos 
Make: Brenno Melo
Modelos: Jota C Angelo, Cesar Schwenck, Pandro Nobã e Gabriel Azevedo
Styling: Nathália Cherém
Direção Criativa: Igor Frossard
Vídeo (Captação e Edição): Matheus Coutinho

Produção Executiva: Carol Rabello - Zona Norte Etc

Agradecimentos: Sandálias Kenner

Produção de moda: Calvin Klein | Chilli Beans | Colcci | Coca-Cola Clothing | Eleven Corporation | Fórum | Mig Jeans | Moog | Olive | Snipper | Von Der Volke

Vakinha Etíope do Leão

leao-etiope-do-meier_zona-norte-etc_arte-rosa-antunes-e-marina-andrade

Vakinha Etíope do Leão

Ao longo desse tempo em que o ZN está em atividade tivemos a oportunidade de conhecermos muitos projetos, pessoas, culturas e uma das iniciativas mais sinceras e que mais nos aproximamos foi o coletivo Leão Etíope do Méier. Eles simplesmente fomentam o acesso à cultura em lugares públicos (mais especificamente na Praça Agripino Grieco e no Jardim do Méier). Provando que a Zona Norte tem vasta oferta e demanda de consumo de arte em geral. 

O “Leão Etíope do Méier” atua desde janeiro de 2014. Sempre com uma programação variada que vai desde exibição de filmes (Cinetíope do Méier), shows nacionais e internacionais, performances, teatro e dança. Um grande palco a céu aberto na zona norte da cidade. 

Em 2015, o Leão foi convidado a produzir, a convite da Funarte, uma série de cinco espetáculos na Sala Sidney Miller. Ainda em 2015, firmou parceria com o Imperator - Centro Cultural João Nogueira para produção de eventos. Também foram um dos palcos da Ocupação O Passeio é Público, além de assinar a curadoria do dia da consciência negra na Arena Dicró (2015). Ele foram premiados pelo edital de Ações Locais da Secretaria Municipal de Cultura - RJ e esse ano o projeto 'Leoa Etíope do Méier 'também foi chancelado como Ação Local pela Secretaria Municipal de Cultura - RJ. 

Muito bem! Para que a galera possa dar continuidade a esse trabalho lindo é preciso que nos movamos e ajudemos os grande amigos que tanto fazem pela arte, cultura e democracia.  Você pode colaborar com 10, 20, 30 reais... chamar os amigos para chegar junto e ajudar divulgando nas redes sociais. O desafio é ter 350 admiradores e admiradoras contribuindo com 10 reais ou mais até o dia 24/12. Vamos nessa!?

leao-etiope-do-meier_zona-norte-etc_arte-rosa-antunes-e-marina-andrade

Arte: Rosa Antunes com adaptação de Marina Andrade

Para apoiar o Leão Etíope do Méier basta clicar aqui.

O Cluster celebra quatro anos com ocupação artística pela primeira vez na Zona Norte

OCluster_ZonaNorteEtc_RenanLima

O Cluster celebra quatro anos com ocupação artística pela primeira vez na Zona Norte

A 21ª edição virá em forma de festival

 

Arrow
Arrow
Shadow
ArrowArrow
Carolina Herszenhut - Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Foto: Renan Lima
Slider

Eles já estão na 21º edição, promovem uma série de eventos bimestrais, seminários, possuem uma revista digital e já lançaram um livro. O Cluster é um gás na área da economia criativa, principalmente nos segmentos de moda, arte, música, design e gastronomia. O Cluster, celebra no mês de novembro o quarto aniversário.  Para comemorar a data, será realizada no dia 20 de novembro, domingo, das 13h às 21h, a ocupação artística da Casa da Marquesa de Santos, em São Cristóvão. 

Com o intuito de ampliar cada vez mais a troca e a aprendizagem a partir de novas experiências, a plataforma realiza pela primeira vez edição na Zona Norte da cidade, especificamente em São Cristóvão, bairro que concentra vários representantes da moda carioca e brasileira.

Carolina Herszenhut ressalta a importância da ocupação artística do projeto acontecer nesse equipamento cultural

"A principal Missão d 'O Cluster é fazer uma ocupação criativa da cidade, levando a nossa plataforma para diversos pontos. Quando fomos convidadas a fazer a primeira ocupação do Solar da Marquesa ficamos extremamente felizes, pois o Museu está fechado e será uma oportunidade única do público conhecer um lugar lindo como esse que irá abrigar o futuro Museu da Moda na nossa cidade.”

 

O Evento

O artista plástico Pedro Meyer fará num dos salões na área interna da Casa diversas performances com a participação de outros artistas convidados. Ao longo do evento serão realizadas seis performances com a criação de pinturas feitas em conjunto com os performers convidados. Haverá também uma exposição com artistas visuais que já participaram de edições passadas, como Marcelo Eco, Rafo Castro, Pedro Sanches, Eduardo Denne, Fernanda Ladeira, entre outros.

Conhecido como um movimento que reúne em lugares secretos artistas e bandas que se apresentam em shows intimistas (também de forma surpresa), o projeto inglês Sofar Sounds participará dessa edição. Serão realizados de três a cinco pocket shows, com duração de vinte minutos, onde o público só descobrirá a identidade dos artistas no dia. O movimento acontece em outros lugares do mundo, como Londres, Nova Iorque, Paris e Berlim... e agora aqui, em São Cristóvão, na nossa querida ZN.  

Ao longo do dia a sonorização ficará por conta da DJ Giu, que tocará ritmos latinos e africanos, e do DJ Janot, especialista em música popular brasileira. O evento contará também com cerca de 50 expositores de moda, design, gastronomia e artes plásticas, compondo o festival.

 

Sobre O Cluster

O Cluster é uma plataforma multicultural que reúne jovens de diversos segmentos da cadeia criativa carioca que trabalham de maneira integrada e colaborativa viabilizando negócios entre a cadeia criativa e consumidores gerando, assim, um espaço para novos empreendimentos.

O Cluster surgiu em 2012 do desejo da estilista, curadora e idealizadora do projeto, Carolina Herszenhut, de criar um evento  que reunisse moda, gastronomia, música, artes, design, estudantes e um público interessado em trocar experiências. Desde o início  a proposta foi abrir espaço para o novo, possibilitando uma integração multicultural aberta a todos.

 

A Casa da Marquesa de Santos

Joia arquitetônica do Rio de Janeiro e do Brasil, a Casa da Marquesa de Santos foi  presente do Imperador D. Pedro I para Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, em 1827. Exemplar ímpar da arquitetura neoclássica do século XIX é uma das primeiras edificações tombadas pelo IPHAN, em 1938. Adornada com pinturas decorativas e trabalhos em estuque, a Casa da Marquesa apresenta uma aura graciosa e romântica, mesclando temas do universo feminino com ícones neoclássicos.

O Decreto Estadual 45346, de 20 de agosto de 2015, que institui a Casa da Marquesa de Santos como Museu da Moda Brasileira, reafirma a vocação inerente da Casa para abordar questões sobre o feminino e a importância da mulher na história brasileira. Nesse viés, a moda será tratada como representação cultural e como ponto de partida para explorar questões sociais e de gênero.

A Casa da Marquesa de Santos trata, portanto, da história arquitetônica e cultural do Rio de Janeiro, capital do Império Brasileiro, da Marquesa de Santos e do universo do feminino, dos costumes e da moda no Brasil. O acervo reúne peças representativas desses temas como gravuras de gênero que ilustram a sociedade brasileira, leques, itens do vestuário e objetos do fazer moda, dos séculos XIX ao XXI.

 

Serviço: 18ª edição O Cluster

Dia 20 de novembro, domingo, das 13h às 21h.

Casa da Marquesa de Santos: Av. Pedro II, 293. São Cristóvão, RJ.

Evento gratuito. Haverá vans saindo do Metrô Estação Estácio até o local. 

Classificação livre.

Evento no Facebook

Informações: contato@ocluster. com.br

 

 

5ª edição da Flupp começa nesta terça

flupp-2016

5ª edição da Flupp começa nesta terça

Vida longa à Favela

flupp-2016

De hoje até domingo rola a 5º edição da FLUPP, na Cidade de Deus. Nesta edição, mais de 50 autores de 20 nacionalidades e uma grande homenagem ao escritor gaúcho Caio Fernando Abreu (morto há 20 anos). A FLUPP há cinco anos vem chamando atenção para a realidade e a produção artística das minorias periféricas. Como parte das celebrações pelos 50 anos da Cidade de Deus, os convidados debaterão temas como racismo, machismo e homofobia. 

A FLUPP de 2016 terá mais de 100 horas de programação diversa e diversificada, com debates entre autores nacionais e internacionais, show musicais, espetáculos teatrais, realidade virtual, gincana literária e poetry slam. Iremos contar com convidados como a pastora lésbica Pamella Ligthsey, o compositor Dudu Nobre e a slammer secundarista Tainara Coelho, todos eles negros como as curadoras Roberta Estrela D'Alva e Yasmin Thayná. Mais do que nunca, a FLUPP da Cidade de Deus será uma plataforma contra o racismo, e em particular contra a morte em escala industrial dos jovens negros de nossas favelas.

Uma das novidades é o projeto criado em Barcelona por um grupo de pesquisadores e artistas: “Machine to be another” (Máquina de ser outro). Combinando áudios, vídeos em 360 graus, realidade virtual e técnicas de neurociência, a experiência cria uma ilusão cerebral que faz o usuário ver-se e sentir-se no corpo de outro. As sessões, gratuitas, acontecem das 14h às 22h, na praça principal da Cidade de Deus. Haverá também, em datas e horários a serem confirmados, performances de teatro imersivo, que irá misturar a realidade virtual e a física, colocando o visitante frente a frente com os narradores da histórias. No Brasil pela primeira vez, o “Machine to be another” participa da Flupp dentro da iniciativa do festival de ampliar a sua programação para outras formas narrativas.

Patrick Chomoiseau e Conceição Evaristo farão uma mesa que poderá entrar para a história dos festivais literários no dia 13 de novembro. Não será muito diferente com o debate envolvendo Nadifa Mohamed e Ana Maria Gonçalves, que discutirá o lugar do negro no mundo a partir do olhar feminino. O cinema, a inclusão digital e o samba também serão debatidos por artistas negros, como o diretor Joel Zito e a cantora Ellen Oléria.

Uma sexualidade hoje chamada de queer também terá grande destaque na programação, como se pode depreender pela mesa envolvendo Marcelo Caetano, Mc Linn da Quebrada e Amara Moira. Marcado para o dia 12 de novembro, esse debate é uma espécie de elo perdido entre a Cidade de Deus e Caio Fernando Abreu, autor homenageado da FLUPP de 2016. Pelo terceiro ano consecutivo, a curadoria do Rio Poetry Slam será da poeta e atriz Roberta Estrela D'Alva.

A FLUPP Parque, que pelo segundo ano terá como epicentro uma Gincana Literária, mostrará o resultado de dois meses de trabalho dentro de cinco escolas de ensino fundamental da Cidade de Deus. Uma espécie de festival de leitores, em que o epicentro das ações é a interpretação que os estudantes fizeram da obra dos autores que visitaram sua escola. A cantora, educadora e escritora Bia Bedran será uma das participantes, assim como a atriz Elisa Lucinda (no dia 11) e muitos outros. FLUPP Parque foi inteiramente dedicada à poderosa tradição da poesia oral brasileira, ela própria uma permanente afirmação de nossa herança africana. Quem acompanhar a programação das manhãs de 9, 10 e 11 poderá ver o que os grandes compositores do samba, rap e funk poderão fazer para formar novos leitores.

FLUPP 2016
8 a 13 de novembro
Endereço: Rua Edgard Werneck, 1565 - Jacarepaguá
Praça da Cidade de Deus (Praça Padre Júlio Groten)

Programação completa aqui.