Minuto de Silêncio leva podcast para o palco do Tijuca Tênis Clube

Minuto de Silêncio_Ensaio_Foto Fabiano Albergaria-12

Minuto de Silêncio leva podcast para o palco do Tijuca Tênis Clube

Minuto de Silêncio_Ensaio_Foto Fabiano Albergaria-12

Foto: Fabiano Albergaria

Quebrando a barreira da internet, programa de humor online se aproxima de ouvintes com gravação ao vivo

O Minuto de Silêncio surgiu em 2014 e por lá já passaram mais de 100 convidados, desde comediantes renomados como Marcius Melhem e Fernando Caruso a novos nomes do stand up, roteiristas de humor, atores, diretores e personalidades da internet. Nesses quase três anos já conquistaram uma legião de fãs que aguardam ansiosamente por um novo episódio toda quarta-feira.

A evolução do podcast não para por aí. Dialogar com o público exige sempre maior proximidade. Para ter um maior contato com seus ouvintes, os caras resolveram atender à demanda de uma apresentação ao vivo! Não pensaram duas vezes e o Minuto de Silêncio alugou o Teatro Henriqueta Brieba, localizado no Tijuca Tênis Clube, para realizar sua primeira apresentação no teatro com a presença dos ouvintes, relembrando os importantes programas de auditório do rádio Brasileiro. Só que ao invés de termos o glamour e beleza de Carmem Miranda e Emilinha Borba teremos Cacofonias (Vinícius Antunes) e Roberto Rocha.

Sair da internet foi uma demanda do próprio público. Eles pediam mais contato, encontros, interatividade presencial também. Começamos a pensar o Minuto de Silêncio ao vivo meio de brincadeira e, quando vimos, 200 ingressos já estavam esgotados num piscar de olhos. Isso vai na contramão do que se diz sobre as relações estarem cada vez mais frias e distantes. Houve um clamor por contato e pela ocupação do teatro para fazer podcast - relata Vinícius.

Em pouco tempo de existência, comparado a outros podcasts, o Minuto de Silêncio viu-se crescer de forma animadora. Essa interação cada vez maior com o público, dentro e fora da internet, pode ser o fator do sucesso que o podcast vem adquirindo. O grupo pretende, em breve, lançar vídeos de comédia em seu canal no Youtube.

Minuto de Silêncio ao vivo (ingressos esgotados)

Dia 1 de setembro, às 19h30, no Teatro Henriqueta Brieba, Tijuca Tênis Clube

Rua Conde de Bonfim, 451 - Tijuca, Rio de Janeiro.

 

Um pouco sobre Podcast

Há 13 anos, desde quando surgiu o termo “podcast”, milhares de pessoas têm preferido ouvir as rádios online ao tradicional sinal FM. A chegada de novas tecnologias, a falta de qualidade na transmissão e a precariedade nos assuntos abordados nas rádios impregnadas de comerciais fizeram com que o ouvinte tivesse o interesse em criar sua própria rádio ou ouvir a música ou assunto do seu interesse em uma rádio criada por alguém.

O boom das rádios online se deu em 2004 devido a três fatores: a disponibilidade de softwares baratos de produção de áudio, aos iPods e aos blogs onde eram publicadas as rádios. Assim definiu na época o jornalista Bem Hammersley, do jornal The Guardian, e pela primeira vez na internet utilizou o termo podcasting, perguntando-se como chamaríamos essa nova forma de fazer rádio.

A expressão pegou. As ferramentas de blog evoluíram, os ouvintes agora poderiam fazer uma assinatura RSS para saber quando um novo áudio estava disponível, baixar o arquivo em mp3 e ouvir em seu iPod. O desafio se tornou transformar essas rádios online amadoras em uma edição cada vez mais profissional, com qualidade de áudio e uma entrega cada vez mais facilitada para o ouvinte que não precisaria mais visitar o blog para ouvir seu programa favorito. O podcast não inovou apenas na tecnologia, trouxe também uma nova maneira de se fazer rádio. O podcast possibilitou ao ouvinte escutar, em um único programa de rádio, o tipo de música ou o assunto que ele estava interessado em ouvir.

Mas a palavra podcast ainda é pouco conhecida entre os brasileiros. Não apenas a palavra como também o formato. O podcast se tornou um meio de comunicação que vai além da própria rádio online, pois possibilita o download do áudio. Além disso, a programação não precisa ser feita ao vivo.

O Minuto de Silêncio

Minuto de Silêncio

Foto: Lázaro Santos

No Brasil, o podcast ainda vem evoluindo. Iniciou com baixa qualidade no áudio e com gravações realizadas via Skype, o que compromete muito essa qualidade. Há ainda produtores de podcast que fazem suas gravações dessa maneira, por ser mais fácil e menos custosa. Atualmente, alguns podcasters montam o próprio estúdio, como é caso do programa de humor Minuto de Silêncio, comandado por Vinícius Antunes, roteirista do Zorra da Rede Globo, e Roberto Rocha, engenheiro e editor. Eles montaram todo o equipamento de gravação no apartamento de Vinícius, na Tijuca, bairro do Rio de Janeiro. Todas as gravações são presenciais e os convidados sentam à mesa com os apresentadores para falarem dos mais variados temas de forma cômica.

Roberto e Vinicius são amigos de longa data, desde os tempos de escola nos anos 90. Fãs de programas de rádio, sobretudo, os de humor, sonhavam em um dia participarem de um. Com a possibilidade a partir do podcast, tiveram a ideia de transportar o sonho de criar um programa de rádio de humor para a realidade na internet.

Quando descobrimos o universo do podcast, chegamos à conclusão de que seria um formato mais viável para produzirmos algo divertido e de qualidade. A partir daí, começamos a juntar nossos amigos pessoais e amigos que trabalham com humor para formar uma mesa de bate-papo que tratasse de qualquer tema com um olhar humorístico - conta Roberto.

Além disso tudo, eles tem uma preocupação em sempre contarem com uma mesa heterogênea com diversos tipos de pensamentos, crenças, gêneros, sexualidades e cor. Nunca esquecendo de falar e afirmar as suas raízes no subúrbio carioca. O melhor e único podcast exclusivamente de humor da podosfera. Está esperando o que para fazer aquela maratona e zerar os episódios? 

PS: Tive a honra de participar de um deles falando sobre os maiores fracassos da minha vida. Você pode ouvir aqui.

Os caras também tem Instagram e Facebook! Siga e divirta-se!

Casa Aberta comemora 2 anos de coletivo tijucano

Obra de Rafael Geraldo

Casa Aberta Comemora 2 Anos de Coletivo Tijucano

alexandre aguiar

Trabalho de Alexandre Aguiar

A programação inclui compras, comidinhas e convidados

Para comemorar seus 2 anos ocupando um sobrado antigo na bucólica Rua Babilônia da Tijuca o coletivo Casa Amarela realizará no dia 08/04 (sábado) seu tradicional “portas abertas” intitulado CASA ABERTA. Em clima de bazar aconchegante o dia será voltado para receber amigos, clientes, curiosos e agregados que buscam em pequenos produtores locais produtos criativos.

Todos os espaços da Casa estarão em pleno vapor! Além da Loja Coletiva os outros ateliês (que geralmente funcionam somente com hora marcada) também receberão os visitantes durante o dia. Entre as mais de 25 marcas que estarão presentes é possível encontrar moda, acessórios e decoração. Lançamentos, coleções novinhas, descontos e brindes não vão faltar!

Moda sustentável, peças autorais e produtos artesanais ocupam toda a Casa que conta com pequenos estilistas como Nathalia Otero (by Nathalia Otero), Gisele Caldas (Fridoka) e Mana Malta (Orgânica). Karen Grimmer (Grimmer) ocupa uma das salas do coletivo onde trabalha na criação de bolsas de couro com estamparia manual e parceria com artistas como Renata Botelho com quem divide espaço para as aulas de aquarela. O arquiteto Alexandre Aguiar produz suas peças em cimento no quintal da Casa onde o cliente pode escolher inclusive a planta que o deseja no vaso. Também é possível encontrar produtos de profissionais de outros estados que tem na Casa Amarela seu  ponto fixo no Rio, como as louças pintadas à mão da artista plástica Lídia Quaresma (de Natal) e os bodies infantis da Honey Peppers (de São Paulo).

Obra de Rafael Geraldo

Obra de Rafael Geraldo

Entre os convidados quem marca presença é o icônico e clássico Rafael Geraldo, responsável pelos 4 painéis de grafitti da Casa. Para quem se apaixona pelo painel com flamingos localizado na entrada do coletivo a notícia é boa: Rafael levará flâmulas de madeira com reprodução da arte para venda.

O programinha de sábado também inclui comidinhas, bebidas e até visual novo. O Chef Gustavo Fonseca comandará a cozinha de onde sairão os disputados burgers artesanais e sanduíches fresquinhos, com direito a sobremesas preparadas pela Kel Gastronomia (incluindo chocolates diferentões para Páscoa) e bar com rodadas de cerveja e outras bebidas por conta da casa. Para quem quiser sair de lá com um corte de cabelo mais descolado as tesouras da Gabi Weiser farão o trabalho por R$ 30.

Orgânica_Casa Aberta
Chef Gustavo Fonseca
Kel Gastronomia
Artista Plástica Lídia Quaresma
Mana Malta (Orgânica)
Arrow
Arrow
Orgânica - Casa Aberta
Slider

O programa pode ser uma boa pedida para quem busca opções criativas de presentes para a Páscoa!

10h às 20h

Casa Amarela (Rua Babilônia 18A, Tijuca)

(21) 3189.6658

50 anos de sucesso

Canto_CircoVoador_FotoFabianoAlbergaria-21

50 anos de sucesso

Em 1967, no bairro da Tijuca, surgia um dos maiores ícones da moda carioca: a marca Cantão. Entre peças hit e produtos inesquecíveis, são 50 anos de história comemorados em 2017 com uma festa mais do que merecida. 

O Circo Voador recebeu na última quinta, 16/02, um festival de sorrisos, nostalgia e música boa. Bixiga 70, BNegão, Mulheres Rodadas e Noites do Norte deram o tom da festa, que também contou com vídeo de abertura emocionante com a trajetória da grife e depoimentos dos fundadores.

Atrações à parte, a emoção ali foi pessoal. Cresci fã do Cantão, colecionando editoriais da Capricho, fazendo listas de presentes com as icônicas mochilas e tênis. Anos mais tarde, a oportunidade de trabalhar naquele lugar que eu gostava tanto, primeiro como vendedora, depois fazendo parte do primeiro time de marketing da marca. Foram 8 anos de história. Na festa encontrei amigos, ex-colegas de trabalho, gente que passou pela minha vida com tanto carinho e que me tornaram hoje a pessoa e profissional que sou. Peço licença pra deixar o coração levar esse texto porque certamente sem o Cantão, talvez esse blog não estaria por aqui. Depois de sair, rodei pelo mercado, passei por outras marcas, mas sabe paixão antiga? Sim, sempre mexe com a gente e hoje eu só tenho a agradecer a todos os que de alguma forma contribuíram na minha trajetória. Parabéns Cantão, parabéns Peter, Leila e Tommy, que venham mais 50 anos!

Na galeria abaixo você confere um apanhado de gente linda que passou por lá!

Arrow
Arrow
ArrowArrow
Slider

Chris Dortas Grava Clipe na Tijuca

cena-do-clipe-chris-dortas-na-praca-afonso-pena

Chris Dortas Grava Clipe na Tijuca

Chris Dortas, dono da música “Em meio a tudo”, que foi trilha da novela Alto Astral, da TV Globo, escolheu o bairro da Tijuca, onde nasceu e cresceu, para gravar o clipe da versão do hit da banda inglesa Keane, Somewhere Only We Knowque ficou bem conhecido no Brasil na voz da cantora, também inglesa, Lily Allen. O clipe teve como palco a tão querida e famosa Praça Afonso Peña, além da Rua Almirante Gavião, onde fez internas em estúdio. Chris fala da ligação que tem com o bairro e sua história:

Como o clipe visa lembrar momentos emocionantes que vivi - pois as festas de fim de ano remetem a isso - nada mais óbvio do que escolher locais que me trazem ótimas recordações. Foi como entrar em uma cápsula do tempo. Gravamos em um fim de tarde, que é o horário em que as crianças vão brincar com os pais na praça. Essa escolha não se deu à toa. Fiz uma viajem pelas minhas recordações mais pueris com meus pais no mesmo lugar. Criou um ar ainda mais emocionante, que aquele momento pedia. Nem parecia que estava trabalhando e sim que era mais uma tarde agradável em um lugar que fez, e faz, parte da minha história

A produção da música é de Carlos Lösch e Celo Oliveira e a direção do clipe de Felipe Monteiro, da Camisa Preta Filmes.  Tudo foi bem emocionante, pessoas tiravam fotos e teve algumas histórias curiosas durante a gravação:

Um fato interessante durante as gravações é que as pessoas vinham perguntar do que se tratava. Muitas tiravam fotos e perguntavam qual era a música para colocar hashtag nas mídias sociais. Uma história em particular me levou de volta a infância, um garotinho, que devia ter no máximo 11 anos, veio até a equipe de produção e perguntou se podia filmar um pouco e depois deu boa sorte, além de agradecer por termos escolhido a praça do seu bairro para fazer o clipe. Isso me deixou muito feliz, me vi naquela criança

Sobre a escolha da música, o cantor revelou ser fã dos Keane desde quando o sucesso foi lançado.

Essa é uma daquelas canções sobre a qual sempre penso: Como gostaria de ter feito

Assista o clipe:

Quer divulgar o seu trabalho? Mande seu material para contato@zonanorteetc.com.br

Boa praça

VitorBelart_ZonaNorteEtc_FotoFabianoAlbergaria-17

Boa praça

Desculpe o trocadilho, mas Victor Belart, o boa praça, é uma das mentes realizadoras do Faz na Praça, que ocupava a Praça Xavier de Brito, na Tijuca.

O cara é super atuante na cidade, principalmente quando o assunto é ocupação cultural e novas formas de pensar os espaços ociosos desse nosso Rio de Janeiro, além de ser um ótimo amigo de Facebook, daqueles que faz texto emocionante e te tira da zona de conforto!

Arrow
Arrow
Slider