Chico Tadeu – Quem é esse cara?

Chico_Tadeu_CHT_Zona Norte Etc_Soda Noise

Chico Tadeu - Quem é esse cara?

Você pode até se perguntar "Quem é esse cara?" quando ouvir o nome de algum artista desconhecido mas certamente quando conhecemos um pouco do trabalho de Chico Tadeu a pergunta muda para: "Onde ouvimos mais música desse cara?" ou "Onde sei mais da trajetória dele?" Com Chico Tadeu é assim... 

Cria da ZN, mais especificamente de Madureira, nós falamos por aqui sobre o lançamento do primeiro CD do artista chamado "O Estado Crítico". Agora, indicamos para que assistam o documentário "Quem é Esse Cara?". Na produção, sabemos um pouco da vida de Chico Tadeu fora dos palcos, sua infância, sua trajetória musical e muito mais. O documentário conta com depoimentos de amigos, familiares e do próprio artista. Se ainda não viu, dê o play, porque vale a pena conhecer a arte de Chico Tadeu que recentemente assinou com a Sony Music e promete muito novidade para esse ano. 

 

Chris Dortas Grava Clipe na Tijuca

cena-do-clipe-chris-dortas-na-praca-afonso-pena

Chris Dortas Grava Clipe na Tijuca

Chris Dortas, dono da música “Em meio a tudo”, que foi trilha da novela Alto Astral, da TV Globo, escolheu o bairro da Tijuca, onde nasceu e cresceu, para gravar o clipe da versão do hit da banda inglesa Keane, Somewhere Only We Knowque ficou bem conhecido no Brasil na voz da cantora, também inglesa, Lily Allen. O clipe teve como palco a tão querida e famosa Praça Afonso Peña, além da Rua Almirante Gavião, onde fez internas em estúdio. Chris fala da ligação que tem com o bairro e sua história:

Como o clipe visa lembrar momentos emocionantes que vivi - pois as festas de fim de ano remetem a isso - nada mais óbvio do que escolher locais que me trazem ótimas recordações. Foi como entrar em uma cápsula do tempo. Gravamos em um fim de tarde, que é o horário em que as crianças vão brincar com os pais na praça. Essa escolha não se deu à toa. Fiz uma viajem pelas minhas recordações mais pueris com meus pais no mesmo lugar. Criou um ar ainda mais emocionante, que aquele momento pedia. Nem parecia que estava trabalhando e sim que era mais uma tarde agradável em um lugar que fez, e faz, parte da minha história

A produção da música é de Carlos Lösch e Celo Oliveira e a direção do clipe de Felipe Monteiro, da Camisa Preta Filmes.  Tudo foi bem emocionante, pessoas tiravam fotos e teve algumas histórias curiosas durante a gravação:

Um fato interessante durante as gravações é que as pessoas vinham perguntar do que se tratava. Muitas tiravam fotos e perguntavam qual era a música para colocar hashtag nas mídias sociais. Uma história em particular me levou de volta a infância, um garotinho, que devia ter no máximo 11 anos, veio até a equipe de produção e perguntou se podia filmar um pouco e depois deu boa sorte, além de agradecer por termos escolhido a praça do seu bairro para fazer o clipe. Isso me deixou muito feliz, me vi naquela criança

Sobre a escolha da música, o cantor revelou ser fã dos Keane desde quando o sucesso foi lançado.

Essa é uma daquelas canções sobre a qual sempre penso: Como gostaria de ter feito

Assista o clipe:

Quer divulgar o seu trabalho? Mande seu material para contato@zonanorteetc.com.br

Sandra de Sá, Zona Norte, Groove e 80’s

sandradesaboxanos80

Sandra de Sá, Zona Norte, Groove e 80's

Arrow
Arrow
ArrowArrow
Slider

O Selo Discobertas lança os quatro primeiros discos da carioca da gema, cria da ZN, Sandra de Sá. Nessa época ela ainda assinava sem o "de", que assumiu a partir de 1988. Demônio Colorido é o nome do primeiro álbum de Sandra, datado de 1980. Música que ela defendeu no Festival MPB-80, produzido pela Rede Globo, que lhe rendeu o título de revelação do Funk e Soul nacional. De certa forma, perpetuando o groove da lendária Banda Black Rio e ajudando a espalhar por esse Brasil os ritmos que nasceram no subúrbio do RJ e só depois chegou na Zona Sul e de lá foi disseminado pelo resto do país. Só que nasceu aqui! Na ZN! E Sandra é parte fundamental desse fenômeno. 

O Segundo disco é o Sandra Sá, de 1982. Onde temos uma espécie de lado B da cantora contando com composições de Tunai, Sérgio Natureza e Luiz Melodia. Essa edição do selo Discobertas vem com duas faixas extras: Palco Azul, que foi defendida por ela no Festival MPB Shell de 1981 e Monalisa, que chegou a ser gravada para uma trilha de novela. 

O terceiro álbum é para amante nenhum de funk colocar defeito. Vale Tudo, de 1983. Já começamos bem no título. Música do síndico Tim Maia que inclusive participa e assina o arranjo do disco. É Black Nacional de primeiríssima qualidade!

O quarto álbum também se chama Sandra Sá. Datado de 1984, ele já traz um certo flerte com a cena Rock brazuca que começava a despontar na época. Tendo inclusive participação do Barão Vermelho na música Conexão Com O Mundo Exterior, de Lulu Santos e Cazuza. As participações inovadoras não ficam só no Barão. Billi Holiday também participa desse disco, cantando um blues visceral: Im Foll To Want You. 

Para comprar o Box, pode ser aqui ou aqui

sandra de sá_zona norte etc

Twitter

É muito bom ouvir esses discos porque refletem uma época de menos medo musical dos artistas brasileiros. Ainda havia resquícios da contra-cultura dos anos 70 e a palavra ousadia era figurinha fácil no dicionário dos artistas nacionais. Além disso, temos um apreço muito grande pelos artistas que, apesar de fazerem tanto sucesso e terem tanto talento, não deixam o ego ficar maior que o trabalho que eles desenvolvem e se mantém fiéis à sua origem. Como é o caso na nossa querida Sandra de Sá. 

 

Ouça o último Lançamento de Ghetto ZN

Ghetto ZN

Skatista louco e tatuador. Assim ele se define em sua página. Só esqueceu de acrescentar: Rapper e talentoso porque a modéstia realmente não permite. O reconhecimento vem de quem escuta o som. Ele é para muitos um dos melhores MC’s da nova safra do Rap Carioca. Além disso, o cara é um dos maiores Campeões das Batalhas de Rimas do Estado do Rio de Janeiro. O primeiro EP lançado em 2013 “Musicas.Pagando.Contas” foi muito bem falado pela crítica popular e rendeu vários shows pelo underground do Rio de Janeiro.

Aqui você também pode ver o clipe irado da música Rio de Janeiro.

Aumenta o som que é rap do bom! ‪#‎oMUNDOaoNORTE

Marky Ramone Comemora 40 anos de Punk Rock no Méier

Beach Combers_Zona Norte Etc_Divulgação
Marky Ramone_Zona Norte Etc_Divulgação

Foto: Divulgação

O movimento punk rock está completando 40 anos e, como bom quarentão, merece uma baita comemoração. O Rio de Janeiro recebe o show de um dos sobreviventes do estilo, o baterista Marky Ramone, que toca, no próximo dia 29 de abril, em edição especial da festa A Grande Roubada, no Imperator, no qual promete executar 30 clássicos do Ramones.

São músicas boas demais para deixar de tocar

Marky Ramone é mais conhecido por seus 15 anos como baterista dos lendários Ramones, banda com a qual compôs, gravou mais de 15 álbuns e tocou em mais de 1.700 shows. Em atividade como baterista desde meados de 1970, Marky também gravou com Misfits, Richard Hell & The Voidoids e Dust e participou de trabalhos solos de Dee Dee e Joey Ramone.

O baterista é acompanhado, no show, por Marcelo Gallo (guitarra), Alejandro Viejo (baixo) e Oscar Chinellatto (vocais). Marky conta que o projeto é uma maneira de manter o legado dos Ramones vivo para as novas gerações.

A Banda de Abertura

Beach Combers_Zona Norte Etc_Divulgação

Foto: Divulgação

A banda de abertura é à altura. Nada mais, nada menos que as feras do Beach Combers, Banda que começou em 2009, aqui no Rio de Janeiro, e formam um power trio de deixar no chinelo muitas bandas main stream por aí. Bernar Gomma (guitarra), Guzz The Fuzz (baixo) e Lucas Leão (bateria) surfam sem medo na onda instrumental, mesclando o som das guitarras magnéticas da surf music à trip lisérgica de garagem dos anos 60. A banda já conta com três álbuns e mais de 800 shows pelo país.

Na Pista, o comando é do DJ Wagner Fester que coloca um Rock n’ roll nervoso, rápido e rasteiro, repleto de clássicos, pra pular, abrir rodas, bater cabeça e cantar em coro.

Mais sobre A Grande Roubada

A Grande Roubada_Zona Norte Etc_I Hate Flash

Foto: I Hate Flash

A Grande Roubada foi criada em 2009 com a proposta de agitar a cena rock underground do Rio, trazendo shows que não aconteciam há muito tempo na cidade, como The Exploited, D.R.I, GBH, Jello Biafra, Garotos Podres, Matanza, Gangrena Gasosa, Mukekka di Rato e Zumbis do Espaço.

Além de shows, a festa costuma reunir performances, exposições, filmes e DJs, um ponto perfeito para quem curte rock e abrir uma roda com os amigos.

Serviço:
A Grande Roubada Apresenta
MARKY RAMONE’S BLITZKRIEG – 40 anos de punk rock!
29 de Abril – Sexta – 20H
Abertura: Beach Combers
Entre os shows: DJ Wagner Fester

Imperator (Centro Cultural João Nogueira)

Rua Dias da Cruz 170, Méier. Tel: (21) 2597-3897