Galeria de Fotos Meeting Of Favela 2017

Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias

Galeria de Fotos Meeting Of Favela 2017

Terminou no dia 10, na Vila Operária, município de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, a 12ª edição do Meeting of Favela (MOF), encontro de grafiteiros do Brasil e do exterior. O evento, que reúne em média de 300 a 500 artistas por edição, é considerado o maior encontro do gênero na América Latina. Este ano, participaram grafiteiros da França, Argentina e Japão, além de representantes de todo o Brasil. Segundo a organização, eles já começaram a planejar a edição de 2018. A nossa fotógrafa Clara Sthel cobriu o evento e você pode conferir o set completo na galeria abaixo ;)

Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Cobertura Meetting Of Favela 2017_Foto: Clara Sthel_Vila Operária Caxias
Arrow
Arrow
PlayPause
Cobertura Meetting Of Favela 2017 - Foto: Clara Sthel
Shadow
ArrowArrow
Slider
 
 

 

Você Precisa Ver o Documentário “Grana Preta”

gato mídia

Você Precisa Ver o Documentário "Grana Preta"

O documentário fala sobre negócios em favela e empreendedores negros

Nesse sábado, 23 de setembro, ás 19h tem exibição do documentário Grana Preta no Bistrô Estação R&R no Complexo do Alemão. Além da exibição, vai rolar um bate-papo sobre Black Money com Marcela Lisboa, jornalista e cineasta e Marcelo Ramos, criador da cerveja Complexo do Alemão. A mediação fica por conta da maravilhosa Thamyra Thâmara, criadora do GatoMIDIA, espaço de aprendizado em mídia e tecnologia para jovens negros e de espaços populares.  

A ideia de produzir o documentário surgiu depois de uma pesquisa qualitativa desenvolvida, com comerciantes do Complexo do Alemão.  

O que mais nos chamou atenção foi perceber que grande parte dos comerciantes abriram seus negócios motivados pelo desejo de trabalhar perto de casa e pela possibilidade de organizar seu tempo, rotina - destaca Thamyra Thâmara.

O documentário tem o objetivo de debater os métodos e formatos dos negócios desenvolvidos nas favelas e também por empreendedores negros a partir do "se vira", "nós por nós" e o "black money", que são conceitos que perpassam esses empreendimentos.

Segundo o Data Favela, as favelas do Rio de Janeiro movimentam 68,6 bilhões de reais por ano. Quatro em cada dez moradores de favelas têm vontade de empreender.  Entre os moradores que pretendem ter o próprio negócio, a maioria pretende empreender dentro do seu próprio território. Além disso, a maioria desses desses futuros empreendedores das favelas brasileiras pertencem à classe C.

Grande parte desse dinheiro circula na economia local. Economia essa que ora se organiza por resistência (pela ausência do estado em proporcionar acesso a serviços básicos e qualificação profissional) e ora se organiza por insistência em acreditar que é possível viver dos seus próprios sonhos, ser seu próprio chefe e fortalecer a comunidade.

Saber produzir e criar em ambientes adversos é uma habilidade diferenciada que pode ser potencializada e replicada metodologicamente. A Lan House que compartilha espaço com o tio do bar, a barbearia que vende roupa, a tia que vende quentinha por 3 conto, a feira de sábado, os brechós das igrejas , a padaria com pão a 20 centavos, o bistrô de cerveja artesanal,  tudo isso aponta novos rumos para a economia colaborativa e para os negócios em tempo de crise. O que vemos agora é uma grande parcela da população que sempre viveu em "crise", mas que vê na situação atual oportunidade para avançar.

Serviço:

→ Exibição do documentário dia 23/09, sábado, às 19h.

→  Localização Bistrô Estação R&R (Complexo do Alemão)

Exibições:
10.10 - Instituto Black Bom

Memória em Verde e Rosa – Um filme de Pedro Von Kruger

Memória em Verde e Rosa

Memória em Verde e Rosa - Um filme de Pedro Von Kruger

O documentário "Memória em Verde e Rosa", de Pedro von Krüger já está nas telas de cinema! No filme, o morro da Mangueira é o palco onde o compositor Tantinho e antigos sambistas da campeã do Carnaval de 2016 recontam memórias da favela e do samba. A produção é da Com Domínio Filmes e Formiga Produções Culturais e a distribuição da Com Domínio Filmes. 

No filme, ao som de canções marcantes como "Linguagem do Morro" e "Exaltação à Mangueira", conhecemos mais do morro símbolo do Rio de Janeiro que, ao longo de mais de 80 anos, tornou-se um lugar de referência para a história do samba. O longa mostra os desafios e dilemas que os personagens enfrentaram para conquistar respeito na comunidade, reconhecimento na escola e espaço no meio artístico.

"Memória em Verde e Rosa" ressalta a força da Estação Primeira e de sua tradição musical, que se revelam na integração com a vida cultural da cidade. Além do compositor Tantinho, conta com as presenças do lendário mestre-sala Delegado, de Suluca, baiana mais antiga da agremiação, dos compositores Nelson Sargento, Hélio Turco, dos percussionistas Carlinhos do Pandeiro, Jaguara e, através de um rico material de arquivo, traz nomes como Cartola, Geraldo Pereira, Nelson Cavaquinho, Padeirinho e muitos outros. 

SINOPSE

O morro da Mangueira é o cenário onde o compositor Tantinho e antigos sambistas da Estação Primeira vão relembrar histórias sobre a favela e o samba. O documentário retrata os desafios e dilemas que os diversos personagens enfrentam em suas vidas para conquistar respeito na comunidade, reconhecimento na escola e espaço no meio artístico.

 

ENTREVISTADOS

Amauri Raposo

Broto

Carlinhos do Pandeiro

Chininha

Cici

Delegado

Guezinha

Hélio Turco

Hermínio Bello de Carvalho

Jaguara

Jorge Catacumba

Nelson Sargento

Neném Macaco

Paulão 7 cordas

Raymundo de Castro

Seu Nego

Suluca

Tantinho

Waldir Marcelino

Wilson Moreira

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Pedro von Krüger

Produção: Alípio Carmo, André Horta, José Constant e Pedro von Krüger

Produção Executiva: José Constant e Bruno Arthur

Roteiro: Alípio Carmo e Felipe Bibian

Pesquisa: Alípio Carmo

Direção de Fotografia e câmera: Lula Cerri e Pedro von Krüger

Assistente de Direção: Gabriel Medeiros

Assistente de produção executiva: Pilar Salinas

Assistente de produção: Larissa Centurione

Pesquisa Iconográfica: Vicente Oliveira e Gabriel Bernardo

Fotografia Adicional e câmera: Bacco Andrade, Cris Conceição, Daniel Bustamante

Câmeras: Lula Carvalho, Pablo Baião, Mário Franca, Gabriel Hoffman, Nicolas Mandri, Miguel Lindenberg, Felipe Bibian, Rogério von Krüger

Assistente de Câmera: Nicolau Saldanha, Tomás Camargo, Daniel Terra, Miguel Morais,

Técnico de som: Pedro Sá, Marcel Costa, Bruno Armelin e Evandro Lima

Microfonista: Marcelo Noronha

Assistente de som: Vicente Oliveira

Edição: Marilia Morais, edt

Assistente de edição: Vicente Oliveira, Felipe Bibian, Antônio Porto e Gabriel Medeiros

Finalização de cor: Daniel Canela

Edição de som: Damião Lopes

Mixagem de som: Gustavo Loureiro

Produção: Com Domínio Filmes e Formiga Produções Culturais

Distribuição: Com Domínio Filmes

Complexo do Lins por Clara Sthel

ComplexodoLins_ZonaNorteEtc_FotoClaraSthel_4_

Complexo do Lins por Clara Sthel

Ela é uma das nossas primeiras leitoras e vibra na mesma frequência do ZN Etc. Com um olhar delicado e atencioso Clara Sthel registrou alguns momentos no Complexo do Lins e divide esse bom gosto de cliques com a gente! Nós já estamos esperando mais e mais registros maravilhosos como esse da nossa querida Clara Sthel

 

Arrow
Arrow
Foto: Clara Sthel
ArrowArrow
Slider

Você pode enviar qualquer material ou dica de pauta para o email: contato@zonanorteetc.com.br. 

Complexo do Alemão ganha seu primeiro espaço de coworking

casa-brota_zona-norte-etc

Complexo do Alemão ganha seu primeiro espaço de coworking

casa-brota_zona-norte-etc

Localizada no Complexo do Alemão a Casa Brota abrirá os seus trabalhos no sábado. O local irá funcionar como um espaço de conexão e redes. A inspiração vem toda da favela com a criatividade, rataria, gambiarras, sons, cores, vibrações e energia que lhes são características. Tudo isso junto com novas mídias, tecnologia, inovação social, empreendedorismo e afrofuturismo. A Casa Brota é uma incubadora fértil de novos projetos, tendo a favela como centro da discussão sobre a cidade. Os projetos GatoMídia, Boca de Favela, Berro Inc, AmareVê, Magano e Sonata e Favelê, que fazem parte da Casa, acreditam e constatam que a favela pode nos apontar caminhos para a construção de uma cidade inteligente, sustentável e conectada. 

De acordo com o pensamento da Casa Brota:

Existem muitos projetos criativos produzidos dentro das favelas mas que não estão inseridos e legitimados no circuito de inovação da cidade, uma vez que, muitos desses circuitos não veem as demandas populares como fontes legitimas pra processo de criação. Por outro lado, apesar do número alto de empreendedores em favelas, esses empreendimentos não dialogam/conversam entre si. Um dos objetivos da Casa é fortalecer as redes dentro destes espaços populares e expandir a conexão para além da favela

Será o primeiro espaço de coworking localizado dentro do Complexo do Alemão. No próximo sábado, dia 17 de dezembro, às 16h, todos estão convidados para brotar por lá e participar desse dia histórico com direito a uma visão privilegiada do Morro do Alemão, um papo sobre inovação, tecnologia, rede e criatividade na favela e ainda um baile na laje por que ninguém é de ferro! A Casa, além de ser um espaço de conexão e redes, também realizará consultoria de comunicação para empreendimentos de favela e demais projetos e empresas que tenham como base Inovação + Tecnologia + Entretenimento + Engajamento.

Se liga na programação:

16h: Arte - sujeiraenojo

18h: Papo sobre inovação, tecnologia, rede e criatividade com Vitor Coffe (Kilombu) , Alline Cipriano (IBEJI) ,Marcelo Ramos (Bistro Estação), Adriano Cipriano (Estúdio Roncó), Sil Bahia (Olabi) e Carol Delgado (Puxadinho).

20h: Festinha

Bora Brotar!

COMO CHEGAR:
Referência último ponto das Kombis da Central
Tem como subir de Kombi e Mototaxi (3 conto) ou andando.

#casabrota